Aparecida registra apenas 10 mil pessoas no 1º dia do feriado dedicado à santa

O número representa menos de 6% do total de pessoas que visitaram o templo de adoração à Nossa Senhora no ano passado na mesma época

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2020 17h14
Denny Cesare/Estadão ConteúdoMovimentação de romeiros na Rodovia Dom Pedro, próximo à cidade de Valinhos, em direção à Aparecida, no interior de São Paulo

Com programação totalmente online, as grandes romarias que costumam sair de diversas partes do País por ônibus e a pé, lotando Aparecida (SP), deram vez aos ciclistas que ocuparam parte do imenso pátio na área de estacionamento. Vindos, em sua maioria do Vale do Paraíba, eles aproveitaram o sol fraco e o clima mais fresco para visitar o Santuário Nacional neste sábado, 10. Aparecida recebeu cerca de 10 mil pessoas neste primeiro dia do feriado. O número representa menos de 6% do total de pessoas que visitaram o templo de adoração à Nossa Senhora no ano passado na mesma época. Por causa da pandemia do novo coronavírus, as missas estão fechadas aos devotos. Apenas funcionários do Santuário Nacional e seus familiares, além das pessoas ligadas à Arquidiocese de Aparecida, convidados e confirmados antecipadamente podem participar das celebrações, que têm reunido cerca de 1,5 mil pessoas dentro da Basílica que costuma reunir mais de 20 mil pessoas na Festa da Padroeira.

Diferentemente de outros anos, quando grandes romarias de até 50 ônibus tomavam o estacionamento, o sábado (10) que abriu o feriadão reuniu famílias, como o casal José Robson e Rubia de Toledo. Eles saíram de Tremembé, 42 km distante de Aparecida, às cinco da manhã. Ele correu todo o percurso até o Santuário Nacional, enquanto ela acompanhou de bicicleta por 38 km. Os quatro quilômetros finais correu ao lado do esposo: “Ele precisava desse apoio”, comenta. Depois da chegada ao pátio da Basílica, a pausa de trinta minutos serviu para repor as energias e se preparar para a bicicleta. “Como qualquer maratona, a partir do 30º km, o psicológico sempre dá uma balançada. A gente tem que botar a cabeça no lugar, tomar aquela água, refrescar”, contou ao chegar. De retorno, foram outros 58 km de pedalada, desta vez acompanhado pelo filho Renan, até Taubaté.

Robson havia treinado desde o ano passado para uma maratona de 92 km em Minas Gerais, mas, com a pandemia, a prova foi cancelada. Sem querer perder o condicionamento e os treinos, aceitou o desafio proposto pelo seu técnico e encarou os 100 km de ida e volta. Desde as primeiras horas da manhã, foram inúmeros grupos chegando a Aparecida. Para eles, a união se fortalece pelo pedal. “A pé é um desafio maior, você pensa mais, digere mais as diversas situações e você cresce. A bike é interessante na união entre as pessoas. Você conhece as pessoas e reúne inúmeras histórias maravilhosas. Tanto a caminhada da fé quanto o pedal da fé são maravilhosos. Isso é divino”, contou a advogada Claudinéia Castro, de 52 anos, que participa de romarias há 10 anos, sendo este o quarto ano sobre a bicicleta. O grupo veio em 16 pessoas pedalando e outras quatro em carros de apoio. O casal Rafaela Oliveira e Gustavo Cardoso pedalou por quatro horas, de Taubaté a Aparecida. “É uma emoção muito grande, uma experiência gostosa”, contou a romeira ciclista principiante do grupo. Para acompanhar a programação, a igreja disponibilizou toda a programação ao vivo no site oficial da festa, onde é possível assistir e interagir.

Horários de missa:

Sábado (dia 10): 9h, 12h e 19h (novena).

Domingo (dia 11): 8h, 12h e 19h (novena).

Segunda-feira (dia 12): 7h Missa das Crianças, 9h Missa Solene e 18h Missa de Encerramento.

As missas podem ser assistidas aqui.

*Com informações do Estadão Conteúdo