Igreja beatifica Carlos Acutis, jovem considerado o ‘padroeiro da internet’

Em 2010, Vaticano reconheceu um milagre atribuído a Carlos Acutis no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 10/10/2020 14h33 - Atualizado em 10/10/2020 14h48
Vatican NewsCerimônia contou com a participação de familiares e foi transmitida em telões para evitar aglomerações

A Igreja Católica beatificou neste sábado, 10, o jovem Carlos Acutis, considerado como o “padroeiro da internet”, em cerimônia realizada na Basílica de São Francisco, na cidade de Assis, na Itália. Em 2010, o Vaticano reconheceu um milagre atribuído ao jovem no Brasil. Na época, uma criança com problemas graves de saúde foi curada após o avô ter tocado as roupas de Carlos, que estavam expostas em uma paróquia de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

A cerimônia contou com a presença dos pais e dos dois irmãos do novo beato, e foi transmitida em telões para evitar o aglomeração de pessoas. O evento foi conduzido pelo cardeal-vigário do Papa para a Diocese de Roma, Agostino Vallini, que leu a carta do papa Francisco com a fórmula de beatificação. “Concedemos que o Venerável Servo de Deus Carlo Acutis, leigo, que, com o entusiasmo da juventude, cultivou amizade com o Senhor Jesus, colocando a Eucaristia e o testemunho da caridade no centro da própria vida, a partir de agora seja chamado Beato e que seja celebrado todos os anos nos locais e de acordo com as regras estabelecidas pelo direito, em 12 de outubro, dia de seu nascimento ao céu.”

Acutis em morreu em 12 de outubro de 2006, após lutar contra uma leucemia. Ele, que era católico e documentava a religiosidade através de um blog, o que lhe rendeu a alcunha de “padroeiro da internet”. Antes de morrer, Carlos Acutis desejou que seus sofrimentos fossem oferecidos a Deus, ao papa Bento XVI e à Igreja. Seu testemunho comoveu toda a Itália, onde ele se tornou modelo de santidade. As fotos divulgadas pela Igreja Católica no início de outubro mostram o corpo do jovem intacto, vestindo roupas esportivas e jeans. De acordo com o Vaticano, os membros se encontram em bom estado de conservação, apesar de ter passado por um processo de “recomposição” não especificado pela Igreja.