Aras: Alinhamento com Bolsonaro não é ‘submissão’

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2019 11h44 - Atualizado em 25/09/2019 12h02
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOIndicado à PGR também elogiou a Lava Jato, mas disse que operação é "passível de correções"

Durante sabatina na Comissão e Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal nesta quarta-feira (25), o subprocurador Augusto Aras, indicado para o cargo de Procurador-Geral da República (PGR) por Jair Bolsonaro (PSL) falou sobre um possível “alinhamento” com o presidente. Apesar de ter sido escolhido, segundo o próprio chefe do Executivo, por ser alguém “alinhado” com suas bandeiras, Aras disse que esse nivelamento de ideias não significa “submissão”.

Acompanhe a sabatina ao vivo.

“Não faltará independência a esse indicado. Não há alinhamento no sentido de submissão a nenhum dos Poderes, mas de respeito que deve a relação desses Poderes”, declarou , acrescentando que “não existe independência” entre os Poderes sem “harmonia”. “Harmonia no sentido de que o sagrado interesse público prevaleça. Independência sem harmonia pode gerar conflito”, continuou.

Ele é o primeiro indicado, desde 2003, que não fazia parte da Lista Tríplice, dos três primeiros da eleição interna feita por procuradores da República. Até então, outras lideranças respeitavam a lista, mas essa não é uma exigência legal.

Lava Jato

Aras também elogiou Operação Lava Jato, classificando-a como um “marco” para o país. Ele defendeu as “boas práticas” da operação, mas frisou que a investigação é “passível de correções” e que, apesar de o mérito individual dos procuradores precisar ser reconhecido,  a confiança da sociedade deve se voltar às instituições.

“Boas práticas da Lava Jato devem ser estendidas a todos os níveis de atuação, aprimorando métodos. Mérito individual dos procuradores deve sempre ser reconhecido, mas a confiança da sociedade deve se voltar às instituições em homenagem ao princípio da impessoalidade”, afirmou. O subprocurador também disse que fará uma “atuação firme, mas equilibrada” no cargo.

Próximos passos

Após a sabatina, Aras será submetido ao plenário da Casa, onde precisará dos votos favoráveis de 41 de um total de 71 senadores.