Bolsonaro diz que vai aprovar fundo eleitoral com R$ 4 bilhões, o dobro de 2020

Valor representa veto de R$ 2 bilhões do montante que havia sido definido em votação no Congresso

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2021 13h32
BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDOEm conversa com apoiadores, presidente afirmou que vai vetar parte do valor para não cometer crime de responsabilidade fiscal

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira, 26, que vai aprovar o fundo eleitoral para 2022 com R$ 4 bilhões, aproximadamente o dobro do valor das eleições municipais do ano passado. Em conversa com apoiadores, o presidente disse que irá vetar R$ 2 bilhões dos R$ 5,7 bilhões chancelados pelo Congresso. “Vou deixar claro uma coisa. Vai ser vetado o excesso do que a lei garante. A lei […] quase R$ 4 bilhões para o fundo. O extra de R$ 2 bilhões vai ser vetado. Se eu vetar o que está na lei, estou incurso de crime de responsabilidade”, disse. Bolsonaro já havia sinalizado anteriormente que não iria sancionar o montante definido por deputados e senadores na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022. Na semana passada, o presidente afirmou pelo Twitter que vetaria o aumento “em respeito ao povo brasileiro”. O posicionamento levou líderes do Centrão a articular um “meio-termo” para o fundão, com valor entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões.

O avanço do fundo eleitoral para quase R$ 6 bilhões foi aprovado pelo Congresso no dia 15 de julho, em um dos últimos movimentos antes do recesso parlamentar. A LDO, que define as direções dos custos da máquina pública, foi sancionada na Câmara dos Deputados por 278 votos a 145. Já no Senado, o placar foi de 30 a 33. A aprovação foi alvo de críticas, principalmente pela participação de parlamentares bolsonaristas na votação. O presidente chegou a culpar o vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), que rebateu afirmando que Bolsonaro “não tem noção do cargo que ocupa”.