Bolsonaro diz ‘ser ligado’ a Trump e reafirma fraudes em eleições nos EUA

Presidente disse que acompanhou invasão ao Capitólio ocorrida nesta quarta-feira; após saída dos apoiadores de Trump, Congresso retomou sessão para certificar vitória de Joe Biden

  • Por Jovem Pan
  • 07/01/2021 00h42
Carolina Antunes/PRMais uma vez sem apresentar provas, Jair Bolsonaro voltou a alegar que as eleições de 2018, da qual saiu vencedor, registraram fraudes

Sem comentar diretamente a invasão ao Capitólio ocorrida nesta quarta-feira, 6, por seguidores do presidente Donald Trump, Jair Bolsonaro afirmou a apoiadores no Palácio da Alvorada que houve “muita fraude” nas eleições norte-americanas que decretaram a vitória de Joe Biden. Ao ser  perguntado sobre a situação “bem tensa” em Washington, ele respondeu que “acompanhou tudo” e destacou sua ligação com o republicano. “Eu acompanhei tudo hoje. Você sabe que sou ligado ao Trump. Então, você sabe qual a minha resposta aqui. Agora, muita denúncia de fraude, muita denúncia de fraude. Eu falei isso um tempo atrás e a imprensa falou: ‘sem provas, presidente Bolsonaro falou que foi fraudada as eleições americanas'”, disse.

Mais uma vez sem apresentar provas, Jair Bolsonaro voltou a alegar que as eleições de 2018, da qual saiu vencedor, registraram fraudes que lhe tiraram uma vitória em primeiro turno. “A minha foi fraudada. Eu tenho indício de fraude na minha eleição, era para ter ganho no primeiro turno”, declarou. Durante visita aos Estados Unidos, em 9 de março do ano passado, Bolsonaro disse que entregaria provas de que as eleições de 2018 foram fraudadas, mas nunca as apresentou. Primeiro integrante do governo brasileiro a comentar a invasão ao Congresso dos EUA, o vice-presidente, Hamilton Mourão, afirmou tratar-se de “questão interna” dos americanos e evitou condenar os atos. “São questões internas dos EUA e que terão de ser solucionadas pelo novo governo e de acordo com a lei”, disse o vice ao Estadão. Após a saída dos invasores, o Congresso norte-americano retomou, nesta noite, a sessão conjunta da Câmara dos Representantes e do Senado para certificar o resultado das eleições presidenciais de novembro do ano passado.

Invasão termina com uma morte

A invasão no Capitólio ocorreu durante a cerimônia de formalização da eleição do democrata Joe Biden. O atual presidente dos Estados Unidos, que publicou ao longo da semana uma série de mensagens chamando, sem provas, o sistema eleitoral de fraudulento, pediu em um vídeo nas redes sociais que os manifestantes voltassem para casa. Em uma coletiva de imprensa, o presidente eleito Joe Biden criticou Donald Trump e convidou o presidente republicano a ir à TV aberta pedir que os invasores se retirassem do Capitólio. Uma mulher morreu após ser atingida por um tiro no peito durante a invasão. Ela foi socorrida para um hospital local, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo o jornal norte-americano The New York Times, a identidade da vítima não foi revelada até o momento. Também não há informações sobre a pessoa que disparou o tiro que a atingiu.