Brasil teve papel articulador na COP 26, diz ministro do meio ambiente

Joaquim Leite relata ter feito dezenas de reuniões antes e durante o evento e se diz otimista para acordo sobre mercados de carbono

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2021 15h44
Flickr/Ministério do Meio Ambiente Novo ministro do Meio Ambiente Joaquim Leite é o principal representante do Brasil nas negociações na COP 26

O ministro do meio ambiente do Brasil, Joaquim Leite, afirmou nesta sexta, 12, que se reuniu com representantes de outros 24 países durante as negociações na COP 26, a Conferência sobre Mudanças Climáticas de Glasgow, na Escócia, e já havia se reunido com 60 nações antes do evento começar. “Foi trabalho árduo”, disse, ao apresentar um balanço da participação brasileira. Segundo o ministro, o Brasil foi um articulador importante. A programação do evento se encerra nesta sexta, mas as negociações sobre as regras para os mercados de carbono podem prosseguir durante o fim de semana – o Brasil foi considerado um dos países que travou essas discussões na COP anterior, em Madri, mas Leite disse ter esperança de que um acordo será alcançado nesta, o que beneficiaria o país. Na COP 26, o Brasil também assinou acordos para zerar o desmatamento ilegal até 2030, embora tenha se comprometido a atingir essa meta em 2028, e para reduzir a emissão de metano, gás que causa o efeito estufa, em 30% até 2030. O país também já havia apresentado a meta de zerar as emissões de carbono até 2050.