Butantan firma acordo para fornecer 2,5 milhões de doses da CoronaVac a cinco Estados

Ceará, Espírito Santo, Pará, Piauí e Mato Grosso adquiriram unidades da vacina; anúncio acontece após o instituto finalizar contrato com o Ministério da Saúde

  • Por Jovem Pan
  • 22/09/2021 15h26 - Atualizado em 22/09/2021 18h47
Reprodução/Governo do Estado de São PauloAnúncio foi feito nesta quarta-feira, 22, em cerimônia na sede do Butantan

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta quarta-feira, 22, que o Instituto Butantan irá iniciar a distribuição direta de vacinas contra a Covid-19 aos Estados do CearáEspírito SantoParáPiauí e Mato Grosso. Os contratos, que contabilizam 2,5 milhões de doses, foram firmados após o Butantan finalizar a entrega das 100 milhões de unidades ao Programa Nacional de Imunização (PNI), com a liberação de um lote de mais de 6,9 milhões doses da CoronaVac no último dia 15. Essas unidades faziam parte de um segundo contrato de 54 milhões de imunizantes firmado com o Ministério da Saúde. O primeiro, de 46 milhões, foi concluído em 12 de maio. O anúncio foi feito em uma cerimônia na sede do Butantan, com as presenças dos governadores Camilo Santana, do Ceará; Wellington Dias, do Piauí; Helder Barbalho, do Pará; e Renato Casagrande, do Espírito Santo.

O Pará vai receber 1 milhão de doses da CoronaVac. Os estados do Espírito Santo e Mato Grosso contrataram 500 mil unidades cada. Completando o carregamento de 2,5 milhões de vacinas, o Ceará irá receber 300 mil doses e o Piauí ficará com outras 200 mil, informou o Butantan. “Festejar o dia de hoje como mais um passo da união de esforços, em favor da vida, da proteção e da imunização dos brasileiros. Graças à ciência, à pesquisa e a um conjunto de cidadãos e cidadãs que se doam a esta causa, o mundo descobriu a vacina, que está sendo a única alternativa para que possamos nos proteger e consequentemente virar a página deste momento dramático da vida mundial”, afirmou Hélder Barbalho. “Somos governadores de diferentes regiões do Brasil e de diferentes partidos. O que nos une? Um pacto pela vida. Seguir a ciência é o que nos une. Hoje é um dia histórico, estamos dando um passo muito importante para que possamos salvar vidas”, destacou Wellington Dias.