Butantan recebe insumos para fabricação de mais 14 milhões de doses da CoronaVac

Contrato firmado com o governo federal prevê, até agosto, 100 milhões de doses do imunizante

  • Por Jovem Pan
  • 04/03/2021 07h38 - Atualizado em 04/03/2021 09h44
EFE/ Sebastiao MoreiraEm paralelo, o Estado de São Paulo solicitou à Sinovac 20 milhões de doses apenas para serem usadas na região

Cerca de 8,2 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA) chegou ao Brasil pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos na manhã desta quinta-feira, 4. Esse lote recebido pelo Instituto Butantan deve render 14 milhões de doses da vacina CoronaVac, produzida pela instituição em parceria com o laboratório chinês Sinovac. O Butantan já entregou ao Ministério da Saúde, para distribuição segundo o Plano Nacional de Imunização (PNI), cerca de 14 milhões de doses. Até o fim deste mês, essa entrega deve chegar a 21 milhões de doses da vacina. O contrato firmado com o governo federal prevê, até o fim de abril, 46 milhões de doses do imunizante. Até o fim de agosto, mais 54 milhões de doses serão entregues — totalizando 100 milhões. Além disso, a pasta já pediu um adicional de 30 milhões de doses para o Butantan, que se comprometeu com a entrega — apesar de ainda faltarem detalhes contratuais. Em paralelo, o Estado de São Paulo solicitou à Sinovac 20 milhões de doses apenas para serem usadas na região.

O insumo chegou ao Brasil por volta das 6h25 e vai seguir direto para a fábrica que se empenha na produção. A entrega, considerada a maior remessa de insumos já recebida até o momento, foi acompanhada pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria, o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, e o diretor do Butantan, Dimas Covas. Segundo Doria, os imunizantes são a salvação para conter o avanço do coronavírus. “O que mais precisamos é de vacinas, não apenas a do Butantan, mas de outras também. Nós estamos entrando nas duas mais graves semanas da Covid-19. Estamos à beira do colapso em todo Brasil, só há uma salvação, além dos cuidados do uso de máscara e não aglomerações, são as vacinas. São Paulo e o Butantan estão cumprindo o seu papel fornecendo 100 milhões de vacinas”, disse, ressaltando ainda que nove em cada 10 brasileiros são imunizados com composto produzido pela instituição. “O País tem pressa. Precisamos de mais vacinas para imunizar os brasileiros o quanto antes para poupar vidas. #VacinaPraTodos“, escreveu o governador no TwitterAntes de serem disponibilizadas ao PNI, as vacinas passam por controle de qualidade. Para agilizar a produção, o Instituto Butantan está trabalhando 24 horas por dia e sete dias por semana.