Campinas amplia restrições, impõe toque de recolher e anuncia multa de R$ 6 mil para festas clandestinas

Segundo medidas anunciadas pela prefeitura, circulação de pessoas será restrita entre as 20h e as 5h; unidades de saúde, farmácia e postos de gasolina não terão restrição de funcionamento

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2021 15h50 - Atualizado em 17/03/2021 17h33
ROBERTO GARDINALLI/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOServiços como padarias, açougues e mercados funcionarão apenas até as 20h

Em meio ao avanço da pandemia da Covid-19, a prefeitura da cidade de Campinas, no interior do Estado de São Paulo, ampliou as restrições de funcionamento de atividades, impôs um toque de recolher à população e anunciou a aplicação de multas que podem chegar a até R$ 6 mil. As medidas foram anunciadas na última terça-feira, 16, e entram em vigor a partir desta quita, 18, se estendendo até o fim da Fase Emergencial, atualmente em vigor em todo o Estado. Uma das principais medidas anunciadas é o toque de recolher entre as 20h e às 5h, permitindo que apenas funcionários de serviços essenciais, como farmácias, hospitais ou postos de combustível possam circular. Supermercados, padarias, lojas de conveniência e serviços de drive-thru poderão funcionar apenas até as 20h. Táxi, motoristas de aplicativo e serviços de delivery não terão horário restrito para funcionamento. Hotéis e serviços de hospedagem também estão liberados para o funcionamento, desde que áreas de alimentação comum, como restaurantes ou refeitórios, não sejam utilizados.

A prefeitura também anunciou multas para diferentes tipos de infrações. Estabelecimentos comerciais que abrirem de forma irregular durante o período de restrições serão lacrados e seus donos, além de serem levados à delegacia, deverão pagar uma multa de R$3.030,88, o dobro do valor atual. Pessoas que realizarem festas ou reuniões familiares com mais de dez também terão que arcar com uma penalidade de R$ 3.030,88. A multa mais pesada ficou por conta da realização de festas clandestinas, nas quais os organizadores deverão pagar R$ 6.061,76 por infringirem a lei. Segundo o governo de Campinas, as denúncias podem ser feitas através do serviço 156 e do número 153, pertencente à Guarda Municipal do município. Até o momento, a cidade já registrou 75.198 casos e 2.041 mortes causadas pela Covid-19.