Campos Neto diz que Coaf não pode ficar pra sempre dentro do Banco Central

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2019 15h40
Edilson Rodrigues/Agência SenadoCampos Neto defendeu ainda que a transferência do Coaf para o BC cumpre o objetivo de isolá-lo de influências políticas

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sinalizou nesta quarta-feira (6) durante audiência pública na Câmara dos Deputados, que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) pode não ficar dentro da estrutura da instituição para sempre. O Coaf foi recentemente, por meio de medida provisória, transferido do Ministério da Economia para o BC.

“Não há ideia de ter o Coaf embaixo do BC para sempre”, afirmou Campos Neto, durante audiência na Comissão de Finanças e Tributação. “Em alguns países há modelo que deixa o Coaf independente. Acho este modelo bom”, completou.

Ele acrescentou que, em outros países, o equivalente ao Coaf fica sob a estrutura da autoridade monetária. “No banco da Itália, o Coaf está embaixo do banco central”, exemplificou.

Campos Neto defendeu ainda que a transferência do Coaf para o BC cumpre o objetivo de isolá-lo de influências políticas. “O BC não quer absorver o Coaf. Nós vinculamos o Coaf”, pontuou, lembrando que o órgão também é um colegiado, formado por vários servidores.

Na última semana, o deputado e relator da medida provisória nº 893 — que trata do novo Coaf –, Reinhold Stephanes Junior (PSD-PR), explicou que o órgão deve continuar com o nome Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Além disso, declarou que os integrantes serão apenas pessoas ligadas a instituições especificadas na proposta.

Uma das mudanças do texto original, enviado pelo governo ao Congresso, dizia que o Coaf passaria a se chamar Unidade de Inteligência Financeira (UIF).

* Com informações do Estadão Conteúdo