Caseiro se entrega e confessa ter matado esposa grávida, enteada e fazendeiro em Goiás

Secretário de Segurança Pública do Estado afirmou que Wanderson Mota Protácio agiu com ‘frieza’

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2021 15h29
Divulgação/Polícia Civil de GoiásWanderson Protácio era procurado pela polícia há seis dias

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, se entregou neste sábado, 4, e confessou ter matado a esposa, grávida de 4 meses, a enteada de 2 anos e um fazendeiro no último domingo, 28, em Corumbá de Goiás. Em coletiva de imprensa na 3ª Delegacia Regional de Anápolis, o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse que ele foi a um posto da Polícia Militar em Gameleira e assumiu os crimes. As forças de segurança fizeram um cerco na região e em cidades próximas e procuravam o suspeito há seis dias. Segundo o secretário, ele foi preso com uma arma e grande quantidade de munições. Wanderson ficou conhecido como “novo Lázaro” por agir de forma semelhante a Lázaro Barbosa, morto pela polícia em junho, e pelos crimes terem ocorridos em uma região próxima.

O caseiro já havia sido preso em 2019 por tentativa de feminicídio, após tentar matar uma ex-namorada a facadas em Goiás. Ele também foi acusado de latrocínio em Minas Gerais, ficou detido por três meses, mas foi liberado. “Se a lei permitisse que a polícia e o Poder Judiciário agissem no tempo devido, sem ser tão garantista e sem dar tantos direitos a quem comete crime, de repente aquela família, aquela criancinha, aquele idoso, a senhora grávida e o feto não estariam nessa situação”, afirmou Miranda. Segundo o secretário, Wanderson prestou depoimento e demonstrou “a mesma frieza” de quando tentou matar a ex-namorada. “Ele está falando. Não está negando nada”, relatou. Wanderson vai responder por feminicídio, aborto, latrocínio e roubo de arma de fogo. Se condenado, as penas somadas podem chegar a mais de 100 anos de prisão.