Com investimento de R$ 3,6 milhões, SP promete mais de mil fiscais de máscaras nas ruas

Pessoas contratadas pelo governo ficarão espalhadas pelo estado e deverão, além de máscara, fiscalizar distanciamento social entre moradores de São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2020 14h57 - Atualizado em 03/12/2020 16h22
DENNY CESARE/ESTADÃO CONTEÚDO Fiscalização será realizada por causa de festas de fim de ano

A Secretaria da Saúde de São Paulo anunciou nesta quinta-feira, 3, que investiu R$ 3,6 milhões no pagamento de horas de trabalho para agentes de Vigilância Sanitária de todo o Estado fiscalizarem a utilização de máscaras e a prática do distanciamento social em bares, restaurantes e nas ruas. Os agentes irão trabalhar da quarta ao domingo ao longo de todo o mês de dezembro para fiscalizar população durante o período de confraternizações. Segundo o secretário Jean Gorinchteyn, a ação é feita para conscientizar aqueles que estiverem em aglomerações à importância de seguir as regras para combater a pandemia do novo coronavírus.

Os agentes devem atuar em parceria com pelo menos 100 municípios do estado. A pasta também convidou aqueles que querem ajudar a notificar aglomerações por meio do disque-denúncia da Vigilância Sanitária no número 0800 771 3541. O cidadão que não estiver de máscara deve pagar R$ 524 em multa e os estabelecimentos que forem vistos burlando as regras de distanciamento devem pagar R$ 5 mil por cliente sem máscara. O dinheiro, segundo o governo do estado, é repassado para um programa de assistência social que distribui cestas de alimentos para famílias carentes. O estado de São Paulo é aquele que acumula mais mortes e mais casos de coronavírus no Brasil. Ao todo, 1,25 milhão de casos e 42,4 mil mortes foram registradas no estado até o momento.