Com promessa de “melhorar a vida do povo brasileiro”, Eduardo Campos (PSB) participa do JN

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2014 21h39
Globo/João Cotta Eduardo Campos (PSB) participa do Jornal Nacional nesta terça-feira (12)

O candidato Eduardo Campos (PSB) esteve presente no Jornal Nacional nesta terça-feira e, assim como Aécio Neves, teve direito a 15 minutos de participação e falou qual é a sua única promessa: “melhorar a vida do povo brasileiro”.

Ele criticou o atual governo da presidente Dilma Rousseff e, assim como Aécio Neves, falou que o país não evoluiu. “Pretendo fazer o Brasil voltar a crescer, que esse é outro grave problema, o Brasil parou”, disse o candidato, que reforçou com algo já dito por ele anteriormente, que este é “o único governo que vai entregar o país de uma forma pior do que recebeu”.

Após ser questionado se houve nepotismo na eleição de sua mãe, Ana Arrares, como ministra do Tribunal de Contas da União, o candidato negou. “Na hora que ela saiu candidata com o apoio do meu partido, se fosse outra pessoa, eu apoiaria. Eu nem votei, eu simplesmente torci na hora que ela se candidatou. E ela faz um bom trabalho no Tribunal de Contas”, explicou.

Campos ainda falou que pretende focar em três pontos críticos do país: educação, saúde e segurança. “Educação, melhoria do sistema de saúde, que está um horror no país e a violência, que cresce nos quatro cantos do país. Nós temos um programa de governo. Ouvindo técnicos, universidades (…) é possível, sim (melhorar)”, explicou.

O candidato frizou que a inflação brasileira não pode ser combatida somente com a taxa de juros, como tem sido feito, e o consumidor tem sentido isso. “O Brasil precisa enfrentar a inflação porque ela está corroendo o salário. As pessoas estão precisando e o salário não dá o mês inteiro”, contou.

Sobre o seu primeiro ano num possível mandato, Campos afirmou que o ano de 2015 deverá ser um ano em que terminaremos melhor do que 2014, já que este está sendo complicado. “O ano difícil está sendo esse porque teremos um crescimento de -1%. O Brasil perdeu de 7 a 1 na copa e tá perdendo de 7 a 1 fora dela”, ironizou.

Na próxima quarta-feira (13), será a vez da presidente Dilma Roussef passar pela bancada do Jornal Nacional.