Governo prevê quase 10 milhões de vacinas a menos em abril

Segundo o novo cronograma, a Pfizer e vacina de Oxford estão entre os imunizantes que serão entregues em menor quantidade; mês de maio terá diminuição de 690 mil doses

  • Por Jovem Pan
  • 23/03/2021 18h25 - Atualizado em 23/03/2021 21h20
JOSÉ MARCOS/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO - 06/03/2021Documento apresentou aumento de 1,8 milhões de doses da vacina de Oxford para maio

O novo cronograma de vacinação do Ministério da Saúde reduziu em 9,85 milhões a previsão da quantidade de imunizantes contra a Covid-19 disponíveis no mês de abril para todo o Brasil. No total, segundo o arquivo de 19 de março, o número de doses a serem distribuídas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) caiu de 57.179.258 para 47.329.258. Entre as que serão emitidas em menor número, estão a da Pfizer e a de Oxford.

No primeiro caso, foi retirada do cronograma a previsão de entrega de um milhão de doses da vacina da Pfizer para o mês de abril. Já a previsão relacionada ao imunizante de Oxford, produzido no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fio Cruz), foi alterada no novo cronograma, registrando uma quantidade menor de doses a serem emitidas: de 30 milhões para 21,1 milhões. Para maio, o arquivo apresenta uma redução de 690 mil doses, contando com a queda de 2,5 milhões de vacinas da Pfizer e o aumento de 1,8 milhões de doses da de Oxford.

O governo federal não mudou o planejamento deste mês, que prevê a entrega de 38.097.600 doses até o último dia de março. Neste número, estão programadas a remessa de 8 milhões da vacina Covaxin, da Bharat Biotech. No entanto, até o momento, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não recebeu o pedido de uso emergencial do imunizante, mesmo necessitando do prazo de dez dias para avaliar a documentação e dar seu parecer.