‘Datafolha não é parâmetro para nada’, diz Bolsonaro sobre dados de avaliação do seu governo

Presidente minimizou os números da pesquisa mais recente do instituto, que indicam alta taxa de reprovação à sua gestão

  • Por Jovem Pan
  • 17/09/2021 08h04 - Atualizado em 17/09/2021 11h42
ReproduçãoO presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na live da última quinta-feira, 16

Nova pesquisa do Datafolha aponta que a reprovação ao governo Bolsonaro variou dois pontos em relação ao último, feito em julho. Agora, 53% dos entrevistados consideram o governo ruim ou péssimo; 24% consideram regular; e 22% consideram ótimo ou bom. Apenas 1% disse não saber o que responder. Na tradicional live de quintas-feiras, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) minimizou os números: “A gente sofre muita crítica. O Datafolha falou agora que eu tenho 53% de rejeição. Bem, o Datafolha não é parâmetro para nada”, afirmou. A pesquisa também mostra que 54% dos entrevistados avaliam como ruim ou péssimo o desempenho do presidente na gestão da crise provocada pelo novo coronavírus. Em julho, eram 56%.

Sobre a pandemia e a crise na saúde, o presidente disse que busca alertar sobre riscos das vacinas contra a Covid-19, e segue sem se imunizar. “Se toma uma vacina para ter anticorpos, mas eu estou bem. Vou tomar uma vacina, a Coronavac por exemplo, que não vai chegar a essa efetividade. Então para que eu vou tomar? Depois que todo o mundo tomar a vacina no Brasil, eu vou decidir o meu futuro”, comentou. Na mesma live, Bolsonaro também comentou sobre o seu discurso de abertura da Assembleia-geral da ONU (Organizações das Nações Unidas), previsto para a próxima semana, no dia 21 de setembro. Ele disse que vai defender a manutenção do Marco Temporal de 1988 para a demarcação de terras indígenas. A medida está em análise pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e é criticada por lideranças indígenas.

*Com informações do repórter Fernando Martins.