Contra toque de recolher, deputado promete travar projetos de Doria na Alesp

Douglas Garcia (PTB) afirmou que entrará com um projeto de decreto legislativo para sustar efeitos da fase emergencial e disse que vai ‘lutar contra o governador’

  • Por Jovem Pan
  • 11/03/2021 16h57 - Atualizado em 11/03/2021 20h27
Alesp/DivulgaçãoDouglas Garcia prometeu travar projetos de João Doria na Alesp

Em protesto à adoção de medidas mais restritivas para tentar conter a Covid-19 em São Paulo, o deputado estadual Douglas Garcia (PTB-SP) afirmou nesta quinta-feira, 11, que entrará com projeto de decreto legislativo para sustar os efeitos do toque de recolher no Estado e agirá para impedir movimentações do governador dentro da Alesp. “Vou travar todos os projetos do governador na Assembleia de São Paulo e vou também entrar com uma ação pelo PTB. O PTB está entrando com uma ação contra este toque de recolher”, afirmou o parlamentar. Segundo ele, as ações do governador não se baseiam na saúde. “A gente precisa lutar contra os avanços ditatoriais e totalitários do governador João Doria. A gente precisa dar um basta nisso. O povo de São Paulo não aguenta mais”, garantiu o deputado, que representa o Movimento Conservador da casa legislativa, grupo formado por deputados de direita no ano de 2019.

A fase emergencial anunciada pelo governo de São Paulo nesta quarta-feira, 11, terá início na próxima segunda-feira, 15, e durará até o dia 30 de março. Além do toque de recolher entre as 20h e 05h, alguns serviços que eram permitidos na fase vermelha, como cultos religiosos e abertura de lojas de materiais de construções, não poderão mais funcionar. Escolas estaduais adiantarão feriados e terão recesso entre os dias 15 e 28, mas continuarão a abrir para distribuição de chips e de refeições com hora previamente marcada junto às diretorias. Serviços essenciais, como os de farmácias, postos de gasolina e supermercados continuarão abrindo normalmente e o transporte público deverá funcionar com 100% da capacidade. Parques e praias continuarão fechados, serviços de drive thru poderão funcionar entre 05h e 20h e serviços de retirada nos restaurantes não serão permitidos. Com uma série de hospitais lotados, o Estado tem taxa de ocupação de leitos de UTI em 87,6% e a Grande São Paulo tem 86,7%. São Paulo tem mais de 2 milhões de infectados e se aproxima da marca de 63 mil mortos pela doença desde o início da pandemia.