Deputados da CPI da Petrobras vão discutir habeas corpus com ministro do STF

  • Por Agência Câmara Notícias
  • 11/08/2015 15h59
Alan Marques/FolhapressCelso de Mello diz que não cederá a pressões ao analisar recursos

Deputados da CPI da Petrobras vão se encontrar amanhã com o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que tem relatado habeas corpus impetrados por depoentes que pedem para não ser obrigados a responder perguntas em reuniões da comissão.

O pedido de audiência tinha sido feito pelo presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), depois que o ex-gerente da área de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco, pediu para não participar de acareação com o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, alegando problemas de saúde.

A mesma estratégia foi adotada por outros depoentes convocados pela CPI, o que fez os deputados tomarem a iniciativa de procurar Celso de Mello e o presidente do Supremo, ministro Ricardo Lewandowski.

A reunião está marcada para as 19h, segundo o vice-presidente da CPI, deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA).

Ele informou isso ao responder questionamento do deputado Ivan Valente (Psol-SP) a respeito da importância dos depoentes que efetivamente estão colaborando com a CPI. “Sinto falta de pessoas mais diretamente ligadas a irregularidades, como o Júlio Camargo, que fez acordo de colaboração com a Justiça”, disse.

Atuação da Kroll

Valente também cobrou a reunião, anunciada semana passada pelo presidente da CPI, em que os deputados seriam informados a respeito das investigações feitas pela empresa internacional Kroll, contratada pela Câmara dos Deputados, formalmente, para buscar dinheiro desviado da Petrobras escondido no exterior.

Imbassahy explicou que esta semana a CPI pretende focar na atuação dos doleiros no esquema de desvio de dinheiro da Petrobras.