Distrito Federal confirma dois casos e Brasil chega a cinco contaminados com a variante Ômicron

Casos foram confirmados nesta quinta-feira, 2; nos últimos dias, São Paulo registrou os três primeiros infectados pela nova cepa do coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2021 16h08 - Atualizado em 02/12/2021 18h43
EFE/EPA/ATEF SAFADIAo todo, país possui 5 casos da Ômicron confirmados e 8 sendo investigados

O Governo do Distrito Federal confirmou que foram registrados dois casos da variante Ômicron do novo coronavírus. A informação foi confirmada na tarde desta quinta-feira, 2, pelo governo local através de entrevista coletiva realizada hoje. A Secretária Estadual de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) afirmou que os dois pacientes estão isolados em casa e seguem sendo monitorados pelas autoridades, sendo que um está assintomático e outro apresenta leves sintomas. Os passageiros chegaram do aeroporto de Guarulhos na última segunda-feira, 29, depois de terem passado pela África do Sul. No primeiro teste, realizado no dia 29, um dos pacientes testou positivo, enquanto outro apresentou resultado negativo. Em um segundo teste, ambos apresentaram resultado positivo.  O governo afirmou ainda que os demais passageiros da aeronave estão sendo monitorados no momento. A nova cepa do coronavírus já havia sido encontrada no Estado de São Paulo, onde, desde de terça-feira, 30, foram registrados três casos da variante detectada originalmente na África do Sul. Ao todo, o Brasil possui cinco casos confirmados da nova cepa, sendo que outros oito estão em investigação.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou estar trabalhando com as empresas que desenvolveram as vacinas contra a Covid-19 aplicadas no Brasil sobre o impacto gerado pela variante ômicron. Segundo a Anvisa, as fabricantes já estão fazendo estudos para avaliar possíveis mudanças de desempenho nos imunizantes de PfizerJanssenAstraZeneca e SinoVac – estas duas últimas representadas no Brasil por Fiocruz e Instituto Butantan, respectivamente – e a agência pediu informações sobre as pesquisas em andamento. “A Anvisa mantém o compromisso de atuar juntamente com as autoridades internacionais e as empresas envolvidas para permitir que as atualizações nas vacinas, caso necessárias, sejam realizadas com agilidade, mantendo o perfil de qualidade, eficácia e segurança”, disse a empresa em nota. A agência também reforçou a importância da vacinação como melhor forma de combater as infecções pelo coronavírus.

Impacto da variante

Na manhã desta quinta-feira, 2, o secretário de Saúde da cidade de São Paulo, Edson Aparecido, confirmou o cancelamento do réveillon na capital paulista. A desobrigação do uso de máscaras ao ar livre no município que estava prevista para o dia 11 de dezembro também foi cancelada. A informação foi reforçada pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) em coletiva de imprensa em Nova Iorque, às 10h30 da manhã. Um estudo da Vigilância Sanitária esperado para o próximo dia 5 ficou pronto na noite da última quarta-feira, 1º de dezembro, e foi encaminhado a Nunes com as recomendações de cancelamento. O estudo mostra que a cidade está com bons índices de vacinação, queda do número de mortes, internações e casos da Covid-19, mas reconhece a ameaça da nova variante Ômicron. “Ficou pronto o estudo da Vigilância Sanitária ontem à noite. Apesar dos dados positivos da capital, mas com o surgimento da nova variante, ela indica a manutenção do uso de máscara e o cancelamento da festa de réveillon”, disse Aparecido.