Governo de SP reduz intervalo da dose de reforço contra Covid-19 para 4 meses

Tempo entre a segunda e a terceira dose era de 5 meses; medida seguiu recomendação do Comitê Científico do Coronavírus de São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2021 14h49 - Atualizado em 02/12/2021 14h54
ISABELLA FINHOLDT / FOTOARENA / ESTADÃO CONTEÚDOGoverno de SP teme avanço da variante ômicron

O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira, 2, que vai reduzir de 5 para 4 meses o intervalo para aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19. A medida vale para quem tomou as duas doses da Coronavac, AstraZeneca ou Pfizer. Segundo o governo, a decisão vai beneficiar cerca de 10 milhões de pessoas que se vacinaram nos meses de julho e agosto. A redução do intervalo foi uma recomendação do Comitê Científico do Coronavírus de São Paulo, que considerou o cenário epidemiológico da doença no mundo e a proximidade das festas de final de ano, além dos três casos da variante ômicron confirmados no Estado. O secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou que há condições logísticas e técnicas para a medida. “Vale ressaltar também a necessidade de quem não tomou ainda a segunda dose, retorne aos postos de saúde para se imunizar”, destacou. Nesta manhã, a Prefeitura de São Paulo pediu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para reduzir o intervalo de aplicação da terceira dose. A administração municipal informou que a medida já vale a partir desta quinta. Em nota, a Anvisa confirmou que recebeu a solicitação às 9h42 e disse que pretende responder no menor tempo possível.