Dos nove estados da Amazônia Legal, sete registram aumento da área desmatada em um ano

Apenas Roraima e Acre apresentaram variação negativa entre 1 agosto de 2019 e 31 julho de 2020

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2020 12h55 - Atualizado em 03/12/2020 13h28
Gabriela Biló/Estadão ConteúdoNo total, 11.088 km² da Amazônia Legal foram desmatados por corte raso em um ano

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) estima que sete dos nove estados brasileiros que compõem a Amazônia Legal registraram aumento na área desmatada entre 1º agosto de 2019 e 31 julho de 2020. No total, 11.088 km² foram desmatados por corte raso durante o período analisado. A taxa, que foi calculada a partir da análise das 102 imagens prioritárias do território, mostra um aumento de 9,5% em relação a taxa de desmatamento apurada pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (PRODES) em 2019. Os dados mais detalhados foram divulgados pelo Inpe nesta quinta-feira, 3, mas já haviam sido antecipados na última segunda-feira, 30, pelo instituto.

O Pará contribui 46,8% para o total de área desmatada no PRODES 2020. Foram cerca de 5.192 km² desmatados por corte raso no estado. Em seguida, vem Mato Grosso, com 1.767 km²; Amazonas, com 1.521 km²; e Rondônia, com 1.259 km². Em relação à 2019, apenas dois estados apresentaram variação negativa: Roraima e Acre. Os outros sete estados tiveram resultado positivo na variação, demostrando aumento na área de floresta desmatada. Amapá teve um aumento de 153,1% entre os PRODES 2019 e 2020, saindo de 32 km² para 81 km² desmatados. Segundo o Inpe, as taxas consolidadas serão apresentadas no primeiro semestre de 2021.