‘Em hipótese nenhuma’, diz Maia sobre recriação da CPMF pelos deputados

Presidente da Câmara afirmou que ideia é aprovar reforma tributária ainda neste semestre

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2019 13h48 - Atualizado em 12/08/2019 14h11
Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reforçou a fala de Jair Bolsonaro de que a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) não será reimplantada pela Casa. A afirmação foi feita pelo deputado nesta segunda (12) durante um evento com empresários em São Paulo.

“Nós não vamos retomar a CPMF na Câmara em hipótese nenhuma”, disse. “Nós comandamos o fim da CPMF em 2007, eu era presidente do DEM na época e não vai ser na minha presidência que eu vou recriar esse imposto. Vamos ter que encontrar  uma solução para a simplificação do sistema em outro ambiente”.

Na sexta (9), Bolsonaro já havia negado ter intenção de recriar o chamado “imposto do cheque”. “Nós queremos facilitar o imposto de renda, aumentar a base, acabar com algumas deduções, diminuir o imposto máximo de 27,5%, diminuir um pouco. Essa que é a ideia, facilitar”.

O debate sobre o retorno da taxa, extinta ainda no governo Lula, ocorre em meio à proposta do governo de reformar o sistema tributário. A proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, vai ser uma mescla entre os projetos que já tramitam no Congresso.

O texto do governo vai ser composto de um tripé que inclui a reforma do Imposto de Renda para pessoas físicas e jurídicas, a desoneração da folha de salários e a criação do IVA federal, um imposto único que substituirá PIS, COFINS, IPI e parte do IOF.

Maia afirmou que pretende elaborar o texto da reforma ainda neste semestre, mas que está avaliando as posições de “outros atores” para chegar um consenso sobre a melhor proposta.

“Tem outros atores que influenciam o plenário, com interesses legítimos”, disse o presidente da Câmara. “Na Previdência eu já conhecia, mas agora nós teremos que ouvir as demandas e construir com estados e municípios uma proposta que melhore e simplifique o sistema de tributação no Brasil”.

Com informações da repórter Marcela Lourenzetto