Em visita a refugiados venezuelanos em Roraima, Bolsonaro critica Lula e Maduro

Presidente brasileiro garante não estar em campanha antecipada e diz que ‘só um milagre’ faria a Venezuela voltar à normalidade

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2021 19h29 - Atualizado em 26/10/2021 19h32
Isac Nóbrega / Agência BrasilBolsonaro aproveitou visita a refugiados para atacar Lula e Nicolás Maduro

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), fez uma visita à Operação Acolhida em Boavista, que recebe refugiados venezuelanos que chegam ao Brasil através de Roraima. Em transmissão ao vivo no Facebook, Bolsonaro esteve em barracas utilizadas como abrigo e postos de atendimento e mostrou crianças dormindo em colchões no chão. O presidente brasileiro aproveitou a ocasião para criticar o socialismo, o seu provável adversário na eleição de 2022, Lula, e o presidente venezuelano, Nicolás Maduro. “O que a gente quer mostrar é que não queremos isso para o nosso País. Para o bem maior nosso, precisamos ver nossa liberdade. As escolhas erradas levam a isso”, disse Bolsonaro, creditando ao socialismo a situação que fez os venezuelanos deixarem o país.

“É aquele pessoal do Foro de São Paulo, sempre enganando o povo, induzindo as pessoas a ir para esquerda, se associar ao socialismo. O presidente brasileiro do passado ia à Venezuela fazer campanha com Chávez, Maduro”, criticou, se referindo indiretamente a Lula. O ex-presidente petista tinha boa interlocução com Hugo Chávez, já falecido, e ainda troca palavras amistosas com Maduro eventualmente. Na descrição do vídeo nas redes sociais, mais uma referência a Lula. “Averiguação da Operação Acolhida, situação do estado com os impactos dos refugiados e medidas tomadas para acolhimento de nossos irmãos venezuelanos que fogem da ditadura socialista de Nicolás Maduro, apoiada pelo ex-presidiário petista”, diz o texto.

O presidente brasileiro ainda garantiu não estar em campanha antecipada, o que poderia levá-lo a ser punido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Não estou fazendo campanha, estou mostrando a realidade. O ideal é a Venezuela voltar à normalidade, mas sabemos que só um milagre para isso acontecer. Eles vêm para cá atrás de comida”, disse. Na visita, Bolsonaro esteve acompanhado pelos ministros João Roma (Cidadania) e Anderson Torres (Justiça), além do ex-senador Magno Malta.