Explosão de casos da Ômicron não se reflete nas internações, diz Edson Aparecido

Em entrevista ao Jornal Jovem Pan, o secretário municipal de saúde da capital paulista disse que vacinação em massa impede ocupação excessiva dos leitos de UTI e enfermaria

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2022 21h30 - Atualizado em 06/01/2022 21h44
JHONY INÁCIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 21/04/2021 Secretário de saúde da capital falou sobre o aumento no número de casos de Covid-19 e gripe nos últimos dias

Na manhã desta quinta-feira, 6, a prefeitura de São Paulo anunciou o cancelamento do carnaval de rua da capital pelo segundo ano consecutivo. O anúncio foi feito pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB), que tomou a decisão em conjunto com representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da capital temendo um aumento no número de casos da doença por causa da variante Ômicron. Em entrevista ao Jornal Jovem Pan, o secretário de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou que a capital vive uma explosão de casos da variante, mas que isso não está refletindo as internações, uma vez que os positivados apresentam sintomas leves ou moderados. “A gente tem uma explosão de casos da variante Ômicron, que já é semelhante ao pico da T1 de Manaus. Mas ela não se refletem nas internações, seja de enfermaria ou de UTI porque o impacto do processo de vacinação na cidade, muito rápido, de alguma maneira protege as pessoas. Elas podem até ter novamente a infecção, mas elas apresentam sintomas leves e moderados, o que não leva à ocupação excessiva dos leitos de UTI e enfermaria”, explica o secretário.