Fachin indica adiamento de julgamento de suspeição de Moro

Pedido ocorreu poucas horas após o ministro Gilmar Mendes pautar a análise do recurso na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal

  • Por Jovem Pan
  • 09/03/2021 13h25 - Atualizado em 09/03/2021 13h42
Gabriela Biló/Estadão Conteúdo Homem de terno e gravata com cabelo preto Análise da suspeição de Moro seria julgada nesta terça

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), indicou adiamento da análise de recurso sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro que seria realizada nesta terça-feira, 9, pela Segunda Turma da Corte. A análise seria feita em torno dos julgamentos de Moro envolvendo o ex-presidente Lula e foi pautada ainda na manhã desta terça a pedido do ministro Gilmar Mendes, um dia após Fachin tomar decisão monocrática anulando quatro processos movidos pela 13ª Vara Federal em Curitiba que envolviam o petista. A decisão tomada por Fachin na segunda-feira, 8, levantou questionamentos sobre se a suspeição de Moro seria julgada, já que foi encarada por alguns juristas como uma forma de “salvar” a Operação Lava Jato desvinculando os processos do ex-presidente do nome do ex-juiz.

No despacho do ministro, ele lembra da decisão tomada na segunda-feira e explica que ela não justifica a continuidade da análise sobre a suspeição “evitando-se a prolação de decisões contraditórias”. Fachin também pede que os autos sejam submetidos à análise do presidente do STF, Luiz Fux, para que a Casa debata sobre a possibilidade da Segunda Turma analisar o caso. A análise do recurso foi interrompida no fim de 2018 após o próprio ministro Gilmar Mendes pedir vista para analisar o caso. Na ocasião, a ministra Carmen Lucia e o ministro Edson Fachin já tinham votado contra a suspeição.