Ferroviários da CPTM decidem pelo fim da greve em São Paulo

Funcionários conseguiram garantir o pagamento do PPR em duas parcelas até janeiro de 2022

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2021 19h03 - Atualizado em 16/07/2021 14h42
Divulgação/Secretaria Estadual de TransportesLinha 9-Esmeralda ficou paralisada durante todo o dia

No fim da tarde desta quinta-feira, 15, os sindicatos que representam os ferroviários e engenheiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) se reuniram com a Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) e decidiram encerrar a greve que foi iniciada à meia noite. De acordo com nota do Sindicato dos Engenheiros de São Paulo, a STM propôs o pagamento de 50% do PPR (Plano Poupança Reforma) em 10 de agosto e dos 50% restantes em 10 de janeiro de 2022, com multa prevista no Acordo Coletivo de Trabalho. Além disso, o governo também se comprometeu a não contestar junto ao Tribunal Superior do Trabalho as decisões do Tribunal Regional do Trabalho em relação aos dissídios de 2020 e 2021. Os serviços nas linhas serão retomados de forma gradual ainda nesta quinta-feira.

A paralisação afetou pelo menos quatro linhas: 7-Rubi, 8-Diamante, 9-Esmeralda e 10-Turquesa. A linha Esmeralda, que vai do Grajaú até Osasco, ficou totalmente parada durante todo o dia. Para ajudar os passageiros, a SPTrans acionou o Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese) para atender a linha 9 com 45 veículos. Na linha 7, os trens circularam parcialmente entre Palmeiras-Barra Funda e Caieiras; na linha 8, o trecho atendido foi entre Palmeiras-Barra Funda e Barueri, e, na linha 10, os trens circularam entre as estações Celso Daniel, Santo André e Tamanduatéi. As linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade tiveram operação normal.