Fiocruz defende intervalo de 12 semanas para vacina de Oxford: ‘Demonstra proteção significativa’

Em nota, Fundação afirmou ainda que estudos apontam para eficácia do imunizante contra as variantes que estão em circulação no país

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2021 21h50 - Atualizado em 13/07/2021 21h53
JOSÉ MARCOS/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO - 06/03/2021Enfermeira colocando dose da vacina da AstraZeneca/Oxford na seringa

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) defendeu o intervalo de 12 semanas entre a aplicação da primeira e da segunda dose da vacina AstraZeneca/Oxford contra a Covid-19. O imunizante está sendo produzido na BioManguinhos. Em nota divulgada nesta terça-feira, 13, a Fundação assegurou que o intervalo é recomendado pelas desenvolvedoras e garante “proteção significativa” . “A Fundação esclarece que o intervalo de 12 semanas entre as duas doses recomendada pela Fiocruz e pela AstraZeneca considera dados que demonstram uma proteção significativa já com a primeira dose e a produção de uma resposta imunológica mais robusta quando aplicado o intervalo maior”, diz o comunicado. Além disso, a Fiocruz afirmou que o imunizante “tem se demonstrado efetiva na proteção contra as variantes em circulação no País já com a primeira dose”. “Uma pesquisa da agência de saúde do governo britânico, publicada em junho, aponta que a vacina da AstraZeneca registrou 71% de efetividade após a primeira dose e 92% após a segunda para hospitalizações e casos graves”, conclui a Fundação.