Frente fria avança sobre São Paulo e promete queda de temperatura na sexta-feira

Após uma semana extremamente seca e quente, as nuvens devem causar precipitações e melhora na qualidade do ar

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2021 15h49 - Atualizado em 26/08/2021 17h09
CÉLIO MESSIAS/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO - 26/08/2021Climatempo aponta para a chance de uma 'chuva preta' em decorrência da poluição e das queimadas que atingiram o Estado nos últimos dias

Após uma tarde de calor intenso nesta quinta-feira, 26, em São Paulo, a sexta-feira, 27, promete uma queda brusca na temperatura. Nuvens de uma frente fria que se organizou entre o Brasil, Argentina e Paraguai avançam sobre São Paulo e Mato Grosso do Sul durante esta quinta-feira. Segundo a Climatempo, inicialmente, a frente fria deve causar rajadas de vento entre 40 e 55km/h. O vento desta quinta ainda não será capaz de causar uma diminuição do calor. “Esses ventos sopram de noroeste, do interior, por isso as temperaturas ainda conseguem subir rapidamente”, explica a empresa de meteorologia. A chegada da frente fria ocorre simultaneamente ao enfraquecimento da massa de ar seco sobre o Brasil, permitindo a formação de nuvens. A partir da tarde desta quinta, a expectativa é de chuva em pontos isolados do Centro-Sul e Oeste do Estado de São Paulo. À noite, a precipitação deve atingir a Grande de São Paulo, porém de forma “mal distribuída”, diz a Climatempo.

Na sexta-feira, a frente fria irá causar uma diminuição de temperatura em muitas regiões do Estado. A queda deve ser acentuada, diferente das baixas temperaturas vivenciadas no final de julho. No entanto, como a atmosfera está extremamente quente, a empresa de meteorologia ressalta que a mudança será brusca para a população. Para a sexta, não há previsão de grandes precipitações em grande parte do Estado. Os volumes mais expressivos de chuva são previstos entre o litoral Sul de São Paulo e o Vale do Ribeira. As cidades ao Norte e Noroeste de São Paulo também devem ter chuva, mas sem grandes quedas na temperatura. Apesar da pouca chuva, a Climatempo aponta que a quantidade deve ser suficiente para aumentar a umidade e melhorar a qualidade do ar. Não é descartada a possível ocorrência de uma “chuva preta”, causada pela forte poluição concentrada na atmosfera e pelas queimadas que se alastraram pelo Estado nos últimos dias.