Governo de São Paulo inicia aplicação da 3ª dose em idosos a partir do dia 6 de setembro

Imunização será destinada à população com mais de 60 anos, estimada em 900 mil pessoas; ação visa aumentar a proteção contra a variante Delta

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2021 13h05 - Atualizado em 25/08/2021 17h43
VINICIUS NUNES/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO - 25/08/2021 O governo de São Paulo solicitou uma redução no intervalo entre as doses ao Ministério da Saúde

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou, nesta quarta-feira, 25, a aplicação de uma terceira dose da vacina contra a Covid-19 para idosos a partir do dia 6 de setembro. A decisão foi tomada em reunião conjunta entre o governo do Estado, o Comitê Científico e o Programa Estadual de Imunização (PEI) na manhã desta quarta. A ação será destinada à população com mais de 60 anos, estimada em 900 mil pessoas, que tenha completado o esquema vacinal há seis meses. Ainda nesta quarta, o Ministério da Saúde já havia anunciado uma dose de reforço para idosos e indivíduos imunossuprimidos a partir de 15 de setembro. O governo afirmou que a estratégia para a aplicação da terceira dose para os imunossuprimidos será definida nos próximos dias. “Nós temos no Estado de São Paulo uma situação de melhora progressiva dos indicadores, mas também temos uma preocupação muito importante, especialmente com a presença crescente da variante Delta na nossa população”, explicou o coordenador do Comitê Científico, Paulo Menezes.

“O que observamos em outros países é que, mesmo com boas coberturas vacinais, a variante Delta se espalhou, se tornou dominante e, portanto, neste momento, entendemos que é um passo a mais para a segurança da população mais vulnerável”, acrescentou. Uma nova carteirinha de vacinação, em cor azul, será oferecida para a terceira dose para diferenciar do documento utilizado no primeiro esquema vacinal, em cor verde. O coordenador Executivo do Comitê Científico, João Gabbardo, informou que o Estado solicitou ao Ministério da Saúde que a dose de reforço seja oferecida independentemente da vacina utilizada na primeira e segunda dose. “Nós devemos fazer uma dose de reforço com as vacinas que estiverem disponíveis, independente de quem tomou um tipo ou outro de vacina”, disse Gabbardo. Além disso, o governo solicitou um pedido para redução do intervalo entre a primeira e segunda aplicação dos imunizantes disponíveis.

Índices da pandemia completam oitava semana consecutiva em queda

O Estado de São Paulo ultrapassou a marca de 49 milhões de doses aplicadas, sendo 33 milhões de primeiras doses e quase 14 milhões de segundas. Assim, 97,53% dos paulistanos com mais de 18 anos receberam pelo menos uma dose. São Paulo também completou a oitava semana consecutiva de queda de todos os indicadores da pandemia. Nesta quarta, a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva está em 37,87% e de 36,7% na Grande São Paulo. São 3.617 pessoas internadas em leitos de UTI e 3.515 em leitos de enfermaria. Em comparação com a semana epidemiológica anterior, a quantidade de casos caiu 11,9%, o número de internações registrou baixa de 12,1% e o número de óbitos, 10,2%.