Governo de SP pretende iniciar vacinação contra Covid-19 a partir de 25 de janeiro

Grupos prioritários serão idosos com mais de 60 anos e profissionais da área da saúde

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2020 12h49 - Atualizado em 07/12/2020 15h31
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDODecisões fazem parte do Plano Estadual de Imunização (PEI) divulgado nesta segunda

O governo do Estado de São Paulo divulgou, nesta segunda-feira, 7, que pretende iniciar a vacinação contra a Covid-19 a partir do dia 25 de janeiro de 2021. A fase 1 de vacinação vai priorizar profissionais de área da saúde que estão na linha de frente contra a doença, indígenas, quilombolas e os idosos com mais de 60 anos. No Estado, 77% dos óbitos pelo coronavírus estão concentrados nesta faixa etária e, de acordo com o governador João Doria, esse foi o critério para determinar o grupo prioritário. No total, essa fase pretende imunizar 9 milhões de pessoas. As decisões fazem parte do Plano Estadual de Imunização (PEI). A estratégia de vacinação está estimada em R$ 100 milhões, sem contar os insumos como seringas e agulhas.

De acordo com João Doria, São Paulo preferiu se adiantar e construir seu próprio plano já que o governo federal ainda não indicou que pretende adquirir a CoronaVac para o Plano Nacional de Imunização (PNI). “Aqui em São Paulo não seremos dependentes. Se necessário, seremos independentes para atender a necessidade da população e salvar vida”, disse. Na última semana, o governo federal indicou que pretende iniciar a vacina apenas em março de 2021 – mesmo com o Instituto Butantan sinalizando que sua vacina com o laboratório chinês Sinovac estará pronta e disponível já no primeiro mês do ano.

A fase 1 de vacinação vai do dia 25 de janeiro até o dia 28 de março e vai funcionar de forma escalonada por idade (confira abaixo). A previsão é de que cada pessoa receba duas doses da CoronaVac de forma gratuita no Sistema Único da Saúde(SUS). O Estado também pretende disponibilizar 4 milhões de doses pare outros estados e municípios que manifestarem interesse – entre eles, já constam a cidade de Curitiba e do Rio de Janeiro. Porém, Doria anunciou que não vai segregar pessoas e vai imunizar quem for de fora do Estado que estejam em São Paulo. A Secretária Estadual de Saúde, em parceria com as 645 prefeituras, vai ampliar os locais de vacinação de 5 mil postos para 10 mil. Estão incluídas, nessa ampliação: farmácias, quartéis, escolas, terminais de ônibus e também um esquema drive thru.

Cronograma de vacinação

Serão 18 milhões de doses disponibilizadas para os 9 mil brasileiros que devem ser vacinados no Estado de São Paulo nesta primeira fase. Cerca de 54 mil profissionais da área da saúde e 25 mil agentes de segurança pública vão atuar na campanha. O Estado também vai disponibilizar 27 milhões de seringas e 5,2 mil câmaras de refrigeração, entre outras questões logísticas. Neste período, os postos de saúde vão funcionar das 7h às 22h de segunda à sexta-feira e das 7h às 17h aos finais de semana e feriado.

Confira:

Trabalhadores da área de saúde, indígenas e quilombolas
1ª dose em 25 de janeiro e 2ª dose em 15 de fevereiro.

Idosos com 75 anos ou mais
1ª dose em 8 de fevereiro e 2ª dose em 1º de março.

Idosos de 70 a 74 anos
1ª dose em 15 de fevereiro e 2ª dose em 8 de março.

Idosos de 65 a 69 anos
1ª dose em 22 de fevereiro e 2ª dose em 15 de março.

Idosos de 60 a 64 anos
1ª dose em 1º de março e 2ª dose em 22 de março.