Governo de SP prorroga uso de máscaras no Estado até 31 de janeiro de 2022

Gestão estadual enfatiza que equipamento protege contra Covid-19 e Influenza; Estados brasileiros passam por surto de gripe

  • Por Jovem Pan
  • 20/12/2021 12h27 - Atualizado em 20/12/2021 12h53
MARCELO CHELLO / ESTADÃO CONTEÚDO - 07/02/2021 pessoas caminhando na rua de máscara Uso de máscaras é obrigatório no Estado desde 1º de junho de 2020

O governo de São Paulo decidiu nesta segunda-feira, 20,  prorrogar o uso obrigatório de máscaras faciais no Estado. O governo previa a flexibilização da medida em ambientes abertos a partir do dia 11 de novembro, mas decidiu manter a obrigatoriedade do equipamento até 31 de dezembro em virtude da chegada da variante Ômicron em São Paulo. Com a decisão, o uso será prorrogado até 31 de janeiro de 2022. Segundo a gestão estadual, a utilização da proteção facial será mantida em virtude da necessidade de manter hábitos preventivos e complementares à vacinação, contribuindo para minimizar o impacto tanto da Covid-19 e suas variantes quanto do vírus Influenza. O surto de gripe começa a avançar por Estados brasileiros. Rio de Janeiro e Bahia, por exemplo, já declararam que vivem uma epidemia da doença.

“O nosso compromisso é com a saúde da população. Há vírus respiratórios circulando e a máscara é uma aliada no combate à transmissão e, consequentemente, na prevenção”, disse o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, de 1º de julho de 2020, quando o uso do equipamento foi implantado, até 30 de novembro de 2021, as equipes do Centro de Vigilância Sanitária (CVS) estadual realizaram 536.887 inspeções e 10.476 autuações relacionadas ao descumprimento de normas sanitárias. O não uso de máscaras em locais públicos prevê multas de R$ 552,71 por pessoa física e de R$ 5.294,38 por estabelecimento.