Guedes nega que tenha ordenado investigação de Greenwald pelo Coaf

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2019 20h11
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilEle informou que o Coaf tem autonomia técnica para abrir investigações sem seu conhecimento, e negou ter emitido qualquer ordem nesse sentido

O ministro da Economia, Paulo Guedes, respondeu ao requerimento do Tribunal de Contas da União (TCU) esclarecendo que não ordenou qualquer investigação por parte do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) das movimentações financeiras do jornalista Glenn Greenwald e que não tem conhecimento sobre “os fatos noticiados nos autos”.

Nesta segunda-feira (8), o TCU havia dado um prazo de 24 horas para que Guedes respondesse se havia solicitado a investigação. O Coaf é vinculado à pasta que o ministro coordena. Ele informou que o órgão, no entanto, tem autonomia técnica para abrir investigações sem seu conhecimento, e negou ter emitido qualquer ordem nesse sentido.

“[O signatário] não tomou parte de nenhuma questão relacionada aos fatos e situações ali descritos [possível investigação de Greenwald], não havendo, por conseguinte, orientado ou determinado nenhuma providência por parte do Conselho de Controle de Atividades Financeiras em eventuais investigações levadas a efeito, atinentes à representação citada”, destacou Guedes no ofício.

Em ofício separado assinado eletronicamente, o presidente substituto do Coaf, Jorge Luiz Alves Caetano, informou que o órgão não se pronuncia sobre “casos concretos”, sob a alegação de manutenção de sigilo fiscal. Ele não respondeu se a Polícia Federal chegou a pedir investigação nem se o Coaf começou a monitorar as movimentações financeiras de Greenwald.

Entenda

Na última terça-feira (2), o site O Antagonista informou que a PF pediu ao Coaf um relatório das atividades financeiras de Greenwald para verificar qualquer movimentação atípica que possa estar relacionada à invasão dos celulares de integrantes da Lava Jato.

Na noite de sexta-feira (5), o ministro do TCU Bruno Dantas deu prazo de 24 horas para que Guedes prestasse esclarecimentos, porém só hoje chegaram as notificações.

Segundo o ministério, o primeiro pedido foi enviado diretamente ao Coaf e foi entregue ontem (8) às 15h, enquanto o segundo pedido, endereçado ao ministro Paulo Guedes, foi recebido também ontem (8) às 15h25. A pasta tinha se comprometido a responder aos dois requerimentos em 24 horas.

* Com informações da Agência Brasil