Justiça de São Paulo revoga prisão preventiva de três acusados de incendiar estátua do Borba Gato

Juiz decidiu que Paulo Galo, Biu e Thiago Zem não têm antecedentes criminais e que não há elementos para manter a prisão

  • Por Jovem Pan
  • 10/08/2021 18h35 - Atualizado em 10/08/2021 19h30
Reprodução/TwitterEstátua do Borba Gato foi incendiada em 24 de julho

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) revogou nesta terça-feira, 10, a prisão preventiva de três acusados de incendiar a estátua do Borba Gato: Paulo Roberto Lima, conhecido como Paulo Galo; Danilo Oliveira, o Biu; e Thiago Zem. O juiz Eduardo Pereira Santos Júnior, da 5ª Vara Criminal de São Paulo, disse não haver elementos para manter a prisão, já que eles não têm antecedentes criminais e colaboraram com as investigações. “Por todo o exposto, não há como se presumir que a soltura dos réus traga danos à ordem pública, prejudique a instrução criminal ou frustre a aplicação da lei penal”, diz a decisão. Os três se tornaram réus no processo, mas poderão responder em liberdade. Em nota divulgada nas redes sociais, a assessoria de Galo disse que a previsão é que eles sejam soltos amanhã, 11 de agosto, no CDP Chácara Belém 1.