Kassab diz que PSD vai suspender Flordelis após acusação de assassinato

A deputada federal é acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, no ano passado

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2020 14h19
Claudio Andrade/Câmara dos DeputadosFlordelis é deputada federal pelo PSD

O presidente do PSD nacional, Gilberto Kassab, disse nesta segunda-feira (24) que a legenda irá suspender imediatamente a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza, apontada pelo Ministério Público como mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo. Há ainda a possibilidade de expulsão da parlamentar. “O PSD esclarece que desde o início acompanhou o caso citado e defendeu o andamento e aprofundamentos das investigações. Diante do indiciamento da parlamentar, o corpo jurídico do partido adotará as medidas para a suspensão imediata de sua filiação e, a partir dos desdobramentos perante a Justiça, serão adotadas as medidas estatutárias para a expulsão da parlamentar dos seus quadros”, informou o político em nota oficial.

Mais cedo, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e a Polícia Civil deflagraram uma operação para cumprir mandados de prisão preventiva contra 9 dos 11 denunciados pelo assassinato de Anderson do Carmo. De acordo com a denúncia, a viúva é a mandante do crime, mas não há mandado de prisão contra ela devido à imunidade parlamentar. Cinco filhos do casal foram presos. A denúncia apresentada à Justiça aponta que Flávio dos Santos Rodrigues, em conluio com Lucas Cézar dos Santos de Souza, Flordelis e os demais denunciados, atirou diversas vezes contra Anderson do Carmo de Souza, na madrugada do dia 16 de junho de 2019, na casa do pastor em Niterói. Flordelis é responsabilizada por arquitetar o homicídio, arregimentar e convencer o executor direto e demais acusados a participarem do crime sob a simulação de ter ocorrido um latrocínio. A deputada também financiou a compra da arma e avisou da chegada da vítima no local em que foi executada, segundo a denúncia.

O motivo do crime seria o fato de a vítima manter rigoroso controle das finanças familiares e administrar os conflitos de forma rígida, não permitindo tratamento privilegiado das pessoas mais próximas a Flordelis, em detrimento de outros membros da numerosa família. As ações dos demais denunciados são descritas em diferentes etapas como no planejamento, incentivo e convencimento para a execução do crime, assim como em tentativas de homicídio anteriores ao fato consumado, pela administração de veneno na comida e bebida da vítima, ao menos seis vezes, sem sucesso.