Lewandowski dá prazo de 48 horas para o governo federal se manifestar sobre vacinação de crianças

Ministro do STF tomou a decisão após analisar pedido do PT para que o Palácio do Planalto modificasse o Plano Nacional de Imunização a fim de incluir menores de 12 anos

  • Por Jovem Pan
  • 17/12/2021 19h29 - Atualizado em 17/12/2021 20h20
Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo - Sob uma mesa de vidro, dois frascos com vacinas e duas vacinas, com um símbolo da Pfizer se destacando atrás Anvisa já autorizou que crianças sejam imunizadas com doses da Pfizer

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, impôs um prazo de 48 horas para o governo federal se manifestar sobre inclusão de crianças de 5 a 11 anos no Plano Nacional de Imunização. O magistrado tomou a decisão após analisar pedido do PT para que o Palácio do Planalto modificasse a estratégia de vacinação a fim de contemplar menores de 12 anos. O Partido dos Trabalhadores lembra que a Anvisa já autorizou que essa faixa etária seja imunizada com doses da Pfizer contra a Covid-19.

“Com base na totalidade das evidências científicas disponíveis e nos exemplos de outros países, a Anvisa autorizou e recomendou a utilização da Pfizer-BioNTech na imunização das crianças entre 5 e 11 anos, tendo em vista que pode ser eficaz na prevenção de doenças graves, potencialmente fatais ou condições que podem ser causadas pelo SARS-CoV-2 18”, destaca o pedido de tutela provisória de urgência formulado pelo PT. O presidente Jair Bolsonaro, porém, é contra a inclusão de crianças no PNI. Em transmissão ao vivo na quinta-feira, o chefe do Executivo disse que divulgaria os nomes de todos os integrantes da Anvisa que liberaram a imunização infantil. Em resposta, Antonio Barra Torres, diretor-presidente da autarquia, disse que a lista tem mais de 1,6 mil nomes, incluindo o dele.