Luciano Hang vira ‘capitão Brasil’, boneco patriota vendido na Havan

Empresa criadora do boneco do dono da Havan foi a mesma que produziu fantasia nacionalista de super herói usada por Luciano Hang em algumas transmissões

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2020 19h48
Sulamericana Fantasias / ReproduçãoBoneco de Luciano Hang com fantasia de "Capitão Brasil" foi criada para despertar sentimento patriota em crianças

Às vésperas do Dia das Crianças, algumas filiais da Havan passaram a vender o “Capitão Brasil”, um boneco com o rosto de Luciano Hang, dono da marca de lojas, vestindo uma fantasia nacionalista anteriormente usada por ele em alguns eventos e transmissões ao vivo. A ideia foi de Kiko Smitas, presidente da empresa de fantasias e brinquedos Sulamericana, que também é a responsável pela criação da fantasia verde e amarela do empresário. Para Smitas, a criação do boneco patriota foi uma forma de resgatar nas crianças o amor pela bandeira do Brasil. “Hoje está fazendo sentido realmente ter uma gama [desses brinquedos] para fazer com que as crianças se aproximem desse lado que está faltando, do patriotismo, para criar, de certa forma, um movimento no futuro de enaltecer o nosso país, a nossa bandeira”, explica.

Smitas explica que o brinquedo, feito em vinil, tem como diferencial um componente nas pernas que o transforma em um “hug toy”, permitindo que ele fique preso em superfícies como monitores, roupas, ou até mesmo em um crachá. A princípio, o boneco, criado para elencar o rol de super-heróis fabricados pela Sulamericana (que contam com licenciamento para criação de bonecos como Batman e os Vingadores) é comercializado por R$ 14,99. “Resolvemos homenagear o Capitão Brasil na figura do Luciano inserindo ele nessa ‘Liga da Justiça’, como a gente chamou”, lembra Kiko.

Boneco foi criado após criação de fantasia nacionalista por parte da Sulamericana Fantasias

Com a popularização do boneco em posts nas redes sociais, uma das preocupações da marca é com a possível pirataria dele, um problema apontado como crescente no Brasil pelo dono da Sulamericana. “Todos os produtos que são demandados, são produtos que a pirataria corre para fazer, e como eles não dependem de permissão, acabam lançando antes o produto, tendo uma concorrência desleal. Isso acaba prejudicando muito o licenciamento”, afirma. Até o momento, o boneco patriota é comercializado exclusivamente pela Havan.

Por meio da assessoria de imprensa, o marketing da Havan afirmou que a venda dos bonecos foi uma “ação pontual” criada para ver a receptividade do produto no mercado. Até o momento, segundo a marca, a “carreta patriota” foi o brinquedo mais vendido da série nacionalista veiculada na Havan. Ela não é do mesmo fabricante do boneco. Nem todas as lojas do Brasil tiveram o super-herói disponibilizado.