Agricultura diz que Filipinas adota ‘decisão desproporcional’ ao suspender compra de frango

O anúncio do governo filipino acontece após a China declarar ter detectado traços do vírus em um lote frango importado do Brasil; pasta solicitou esclarecimentos ao país

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2020 19h14 - Atualizado em 17/08/2020 19h15
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoTereza Cristina é a atual ministra da Agricultura do Brasil

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) afirmou nesta segunda-feira (17) que o governo filipino adotou “decisão desproporcional” ao suspender a compra de frango do Brasil por medo do novo coronavírus, que causa a Covid-19. A decisão ocorre após a China anunciar suspeita da presença do vírus em um lote importado do Brasil. “O Brasil entende que a decisão tomada pelo governo filipino foi desproporcional ao interromper o comércio de todo um setor com base em notícias veiculadas pela imprensa chinesa de uma suspeita, ainda sob investigação pela GACC (órgão de sanidade da China)”, diz a nota.

Segundo o ministério, as autoridades filipina não notificaram o Brasil oficialmente acerca da suspensão da compra e também não “fizeram qualquer contato prévio solicitando informações sobre o episódio na China, descumprindo artigos previstos em acordo da Organização Mundial do Comércio, em que os 2 países são signatários” e solicitou esclarecimento ao país. “O governo brasileiro informa que se a questão com as Filipinas se alongar, poderá apresentar uma Preocupação Comercial Específica (Specific Trade Concern) na próxima reunião do Comitê da OMC sobre Acordo Sanitário e Fitossanitário (SPS)”, completa a nota.

De acordo com o Ministério da Agricultura, o caso da China trata-se de uma “suposta detecção de ácido nucleico do coronavírus na superfície de uma amostra de asa de frango congelada, oriunda de um lote importado do Brasil, em Shenzhen, na província de Guangdong”. A pasta ainda alega que, até o momento, não houve comunicação oficial por parte das autoridades chinesas sobre o ocorrido.