Ministério da Defesa explica gastos com gomas de mascar: ‘Ajuda na higiene bucal das tropas’

Comunicado também justifica o valor gasto em leite condensado, dizendo que, além de seu potencial energético, o produto é adquirido por poder substituir o leite e ser conservado de forma ‘superior à do leite fresco’

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2021 21h10 - Atualizado em 27/01/2021 21h39
JOSE LUCENA/FUTURA PRESSComissão Especial concluiu análises da reforma dos militares nesta quarta-feira (23)

Após polêmicas envolvendo os gastos do governo com produtos alimentícios como gomas de mascar e leite condensado, o Ministério da Defesa explicou as despesas destinadas às Forças Armadas. Em nota emitida nesta quarta-feira, 27, a pasta afirmou que as gomas de mascar, que correspondem a cerca de R$ 2,2 milhões do montante gasto pelo governo, ajudam na “higiene bucal das tropas quando na impossibilidade de escovação apropriada” e que também auxiliam a controlar variantes de pressão durante “atividades aéreas”.

O comunicado justifica também o valor gasto em leite condensado, dizendo que, além de seu potencial energético, o produto é adquirido por poder substituir o leite e ser conservado de forma “superior à do leite fresco, que demanda armazenamento e transporte protegido de altas temperaturas”. O ministério diz ainda que o efetivo possui 370 mil homens e mulheres que se alimentam em “1.600 organizações militares” localizadas em todo o Brasil. Segundo a Defesa, desde 2017, o valor da etapa de alimentação é de R$ 9,00 por militar. Segundo o comunicado, esse dinheiro é utilizado para adquirir “os gêneros alimentícios necessários para as refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar)” dos militares.