Ministério da Saúde pede celeridade na atualização de dados sobre vacinação

Em comunicado, pasta pede que gestores ampliem locais e horários de imunização com novas remessas de vacinas que deverão chegar ao país

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2021 19h41 - Atualizado em 22/03/2021 20h08
EFE/Joédson AlvesPasta quer acelerar vacinação contra Covid-19 no Brasil

O Ministério da Saúde pediu que os governos estaduais e municipais acelerem a atualização de dados sobre a vacinação contra a Covid-19. A solicitação foi feita nesta segunda-feira, 22, através de um documento no qual a pasta também pede que os gestores ampliem a capacidade de vacinação, abrindo novos postos de imunização e aumentando os horários disponíveis. O ofício também foi enviado ao Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS) e ao Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS). Segundo a pasta, o pedido visa “visa permitir melhor acompanhamento da execução da campanha de vacinação no país”, alegando que os dados do ministério estão defasados. Tais dados, de acordo com a pasta, permitirão a análise do ritmo de vacinação dos grupos prioritários.

Em outro trecho, o documento diz para os Estados e municípios ampliarem a capacidade de imunizar a população, levando em conta as novas remessas de vacinas que serão disponibilizadas em breve. Segundo o documento, o Brasil possui 38,8 mil salas de vacinação, e vive estabilização de entregas da Fiocruz e do Butantan, além do aumento da produção nacional de vacinas. A estimativa é de que a Fiocruz passe a produzir 24 milhões de doses mensais, enquanto que o Butantan deverá produzir 13 milhões. Além disso, o país deverá receber doses da Covax Facility e imunizantes da Precisa Medicamentos (Covaxin) e União Química (Sputnik V). As três últimas ainda não tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).