Ministro Bento Albuquerque diz que crise hídrica se agravou: ‘Precisamos de esforço inadiável de redução’

Chefe da pasta também afirmou que o governo federal está agindo para evitar estragos, citando a utilização das termelétricas e a compra de energia de países vizinhos

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2021 21h45 - Atualizado em 31/08/2021 21h54
Isac Nóbrega/PRMinistro fez pronunciamento em rede nacional na noite desta terça-feira, 31

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, fez um pronunciamento em rede nacional nesta terça-feira, 31, para falar sobre o agravamento da crise hídrica. Durante suas falas, o ministro afirmou que a situação se agravou e pediu a colaboração da população para reduzir o consumo de energia. “Hoje, eu me dirijo novamente a todos para informar que a nossa condição hidroenergética se agravou. O período de chuvas na região Sul foi pior que o esperado. Como consequência, os níveis dos reservatórios de nossas usinas hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro Oeste sofreram redução maior do que a prevista”, declarou Bento Albuquerque. Em seguida, o chefe da pasta disse que o governo está agindo para evitar apagões e o racionamento. “Com pouca água nos reservatórios das hidrelétricas, tivemos que aumentar, significativamente, a geração de energia nas nossas termelétricas e estamos importando energia de países vizinhos”, continuou. Por fim, o ministro pediu a colaboração da população para minimizar os impactos da crise hídrica. “Para aumentarmos nossa segurança energética e afastarmos o risco de falta de energia no horário de maior consumo, é fundamental que a administração pública, em todas as suas esferas, e cada cidadão-consumidor, nas residências e nos setores do comércio, de serviços e da indústria, participemos de um esforço inadiável de redução do consumo”, concluiu.