Moraes suspende porte de arma e proíbe Janot de se aproximar de ministros do STF

Mesmo aposentado, ex-procurador-geral da República mantinha o direito ao porte de arma, como defende a lei orgânica do Ministério Público

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2019 18h58 - Atualizado em 27/09/2019 19h06
Rodrigo Janot

O ministro Alexandre de Moraes determinou nesta sexta-feira (27) a suspensão do porte de arma do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot e o proibiu de se aproximar dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é do G1.

A decisão foi tomada no âmbito do inquérito sigiloso que apura ofensas aos ministros do Supremo depois de entrevistas aos jornais O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, à revista Veja nas quais Janot afirmou que, em 2017, entrou armado no STF com intenção de matar o ministro Gilmar Mendes e se suicidar em seguida.

Em nota, Gilmar Mendes sugeriu “ajuda psiquiátrica” a Janot e pediu “providências” a Alexandre de Moraes, entre as quais a suspensão do porte de arma.

Todos os integrantes do Ministério Público Federal (MPF) têm direito a porte de armas. De acordo com a lei orgânica do Ministério Público, o procurador mesmo aposentado mantém as prerrogativas do procurador em atividade. Logo, Janot mantinha o direito ao porte de arma, retirado nesta sexta pelo ministro Moraes.

Devido ao sigilo do inquérito, a assessoria de imprensa do STF não confirma a informação.