Após atentado contra índios, Moro autoriza envio da Força Nacional ao Maranhão

  • Por Jovem Pan
  • 09/12/2019 15h29 - Atualizado em 10/12/2019 09h35
Marcelo Camargo/Agência BrasilSegundo ele, a intenção é "evitar qualquer novo incidente criminoso"

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou nesta segunda-feira (9) que autorizou o envio da Força Nacional de Segurança Pública da SENASP/MJSP para o município de Jenipapo das Vieiras, no Maranhão, onde dois índios Guajajara foram mortos a tiros no final de semana. Segundo ele, a intenção é “evitar qualquer novo incidente criminoso”.

O objetivo é apoiar o trabalho da Fundação Nacional do Índio (Funai) nas ações de segurança pública por 90 dias, a partir de 10 de dezembro. O prazo pode ser prorrogado caso seja necessário.

O ministério ainda vai definir o número de servidores enviados para a operação.

A Polícia Federal informou que instaurou um inquérito policial no sábado para apurar as circunstâncias do crime. No mesmo dia, agentes se deslocaram ao local para iniciarem as investigações, que estão sendo desenvolvidas “com prioridade para a mais rápida e efetiva identificação e responsabilização criminal dos autores”.

“Até o momento, não foram encontrados indícios de vínculos entre os crimes e atritos entre indígenas e madeireiros, tampouco com as mortes do índio Paulo Paulino Guajajara e do caçador Márcio Gleyck Moreira Pereira. As investigações desses outros fatos (ocorridos em 1º de novembro último) devem ser finalizadas nos próximos dias”, disse a PF.

Crime

No sábado (7), os caciques Firmino Silvino Guajajara e Raimundo Bernice Guajajara morreram e outros dois índios ficaram feridos durante um atentado na BR-226. O local é foco de tensão entre indígenas e madeireiros e fica no município de Jenipapo dos Vieiras, a 500 km de São Luís.

Os feridos foram socorridos e estão sob proteção policial. Um deles, Nico Alfredo Guajajara está em estrado grave. O outro, Nelsi Guajajara, levou um tiro na perna, e não corre risco de morrer.

Minutos após o ataque, ele aparece em um vídeo dizendo que foi surpreendido por um veículo de cor branca que disparou diversas vezes contra a motocicleta em que ele e outro índio Guajajara estavam.

Segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), o grupo foi atacado após um encontro que reuniu lideranças indígenas de diversas aldeias da região. Este é o segundo atentado com mortes de índios em pouco mais de um mês no Maranhão.