Mourão diz que prisão de Crivella não desgasta imagem do governo: ‘Zero impacto’

O prefeito do Rio de Janeiro, preso por susposto esquema de propina na esfera municipal, recebeu apoio de Jair Bolsonaro na corrida eleitoral deste ano

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2020 11h45 - Atualizado em 22/12/2020 15h03
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 03/11/2020Após prisão, Hamilton Mourão negou qualquer relação e desgastes

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, garante que a prisão de Marcelo Crivella (Republicanos) não deve trazer desgastes para a imagem do governo federal. A afirmação acontece após o prefeito do Rio de Janeiro ser preso em operação da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro nesta terça-feira, 22. Em declaração aos jornalistas nesta manhã, Mourão afirmou que o episódio gera “zero impacto” no Executivo. “Isso aí é investigação policial, segue o baile aí, investigação, acabou. Pro governo não tem impacto nenhum. Não tem nada a ver com a gente. Zero impacto.”

O questionamento acontece por Crivella ter sido apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro durante as eleições municipais deste ano. No caso, o republicano foi derrotado por Eduardo Paes (DEM), que irá comandar a capital fluminense a partir de janeiro. Mesmo assim, Hamilton Mourão negou qualquer relação e desgastes. “A gente apoia tanta candidatura ai. Tem nada a ver”, disse.

A prisão do prefeito do Rio de Janeiro aconteceu na manhã desta terça, em ação contra o “QG da propina”, que investiga esquema de propina na esfera municipal, incluindo a Prefeitura do Rio e a Riotur. Após ser preso em seu apartamento na Barra da Tijuca, Marcelo Crivella disse que é alvo de “perseguição política” e chegou a afirmar que é o “governante que mais atuou contra a corrupção no Rio de Janeiro”. Além dele, empresário Rafael Alves, o delegado Fernando Moraes e o ex-senador Eduardo Lopes também são alvos da ação.