Músicas supostamente inéditas de Renato Russo são descobertas pela polícia do Rio de Janeiro

A investigação a respeito deste material começou há cerca de um ano, após denúncia de Giuliano Manfredini, filho de Renato, que é o detentor dos direitos autorais do pai

  • Por Jovem Pan
  • 27/10/2020 09h25
Tasso Marcelo/Estadão ConteúdoDado Villa-Lobos, Renato Russo e Marcelo Bonfá, integrantes da Legião Urbana, em foto tirada em 1993

A polícia do Rio de Janeiro descobriu músicas supostamente inéditas do cantor Renato Russo numa operação nesta segunda-feira, 26. As canções do líder da Legião Urbana, que morreu em 1996, estavam na casa do produtor musical Marcelo Froes e em dois estúdios de gravação que foram usados em vida por Renato Russo. Segundo a Delegacia de Repressão a Crimes de Propriedade Material da Polícia Civil fluminense, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão na operação batizada de “Será?”, uma alusão a uma música famosa da Legião Urbana. O objetivo era localizar essas possíveis obras inéditas.

Foram encontradas 30 versões de músicas que nunca teriam sido lançadas oficialmente por Renato Russo e apreendidos CDs, HDs e cartuchos de gravação. A investigação começou há mais de um ano, após uma denúncia feita pelo filho de Renato, Giuliano Manfredini, que é detentor dos direitos autorais do pai. Marcelo Froes, que já trabalhou com artistas brasileiros renomados, como Zé Ramalho, Gal Costa, Elis Regina, entre outros, nega que tenha usurpado canções inéditas de Renato Russo. Ele deve prestar depoimento na polícia do Rio de Janeiro nesta quinta-feira. A polícia acredita que o produtor musical pode ter acessado as músicas através de uma gravadora que também é alvo das investigações. O trabalho da polícia agora é checar se efetivamente essas músicas são inéditas e não eram de conhecimento da família de Renato.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga