RJ: Candidata do PCdoB é agredida pelo marido, presta queixa e acaba presa por desacato

Amigos e apoiadores de Leda Mota fizeram uma vigília no local como protesto

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2020 12h05
Reprodução / FacebookEm nota, a defesa da candidata afirmou que não cabe prisão em flagrante em casos de crime por desacato

Uma candidata a vereadora pelo PCdoB foi presa no interior do Rio de Janeiro ao ir a uma delegacia prestar queixa contra o marido. O caso aconteceu em Resende, do sul do estado fluminense. A candidata Leda Mota, de 44 anos, foi até a delegacia da cidade para denunciar o marido por agressão, mas ela acabou sendo presa na unidade por desacato. Leda, inicialmente, usou as redes sociais para denunciar o marido com quem é casada há 20 anos. Vídeos postados pela candidata mostraram o marido aparentemente fora de si destruindo e arremessando objetos na esposa. A Polícia Militar foi chamada e prendeu, em flagrante, o marido da candidata por violência doméstica.

Na ocasião, Leda também foi conduzida à delegacia. Ao ser questionada se gostaria de prestar queixa, ela teria se revoltado e começado a ofender agentes, funcionários e o próprio delegado. Segundo o delegado, o tumulto na delegacia poderia ter como objetivo a promoção eleitoral da candidata, inclusive nas redes sociais. Ela foi presa por desacatado e por interrupção de serviço público essencial. Amigos e apoiadores da candidata chegaram a fazer uma vigília na frente da delegacia em tom de protesto e solidariedade. Em nota, a defesa da candidata afirmou que não cabe prisão em flagrante em casos de crime por desacato. O PCdoB começou a se mobilizar nacionalmente para tentar resolver o caso. Ela foi liberada após audiência de custódia.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga