SP: Pesquisa diz que 18,6% dos alunos da rede municipal já têm anticorpos contra a Covid-19

Entre as crianças e adolescentes testados, 26,3% convivem em residências com pessoas maiores de 60 anos; 69,5% dos estudantes infectados eram assintomáticos

  • Por Jovem Pan
  • 27/08/2020 17h34 - Atualizado em 27/08/2020 17h35
LUCAS SILVA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOPrefeitura de São Paulo irá decidir, com base na Fase 3 do estudo, se haverá ou não o retorno às aulas presenciais ainda em 2020

A Prefeitura de São Paulo apresentou nesta quinta-feira, 27, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), um estudo que indica que 123.694 alunos da rede municipal de ensino já possuem anticorpos para a Covid-19. A Fase 2 do Inquérito Sorológico foi realizada entre os dias 18 e 20 de agosto com crianças e adolescentes com idade entre quatro e 14 anos, e apontou um índice de prevalência da doença de 18,3%. A pesquisa apontou, ainda, que 69,5% dos alunos que testaram positivo eram assintomáticos, dado duas vezes maior do que de sintomáticos. A rede municipal de ensino tem um total de 675.922 estudantes nestas faixas etárias. Entre as crianças e adolescentes testados, 26,3% convivem em residências com pessoas maiores de 60 anos.

Entre quatro e cinco anos, o índice de prevalência de infecção pelo vírus foi de 19,3%; 17,2% entre seis e 10 anos; e 15,4% entre 11 e 14 anos, uma prevalência geral de 18,6%. Os alunos da raça cor parda/preta foram os mais atingidos na Fase 1. Já na Fase 2, não foi possível afirmar essa diferença, pois os intervalos de confiança se sobrepõem. O índice de prevalência entre as crianças das classes sociais D/E testadas foi de 19,5%, e 15,5% entre os jovens pertencentes a famílias da classe C. Os índices de infecção foram maiores em relação a Fase 1 da pesquisa. Na Fase 2, não houve resultado positivo entre escolares da classe A/B, por isso não há estimativa de prevalência.

Entre os alunos, 98,7% estão adotando totalmente ou parcialmente as medidas recomendadas de distanciamento social. Entre 10 e 15 de setembro, seis mil estudantes da rede pública municipal, estadual e privada serão testados na Fase 3 da pesquisa. A Prefeitura de São Paulo irá decidir, com base nestes dados, se haverá ou não o retorno às aulas presenciais ainda em 2020.

Como foi feita a pesquisa

Para a realização do estudo foi utilizada a base de dados de alunos matriculados na Secretaria Municipal de Educação (SME). Desse total, foram selecionados três extratos de estudo, totalizando seis mil estudantes por fase.

  1.  Alunos do Ensino Infantil – EMEI- 4-6 anos (2.000)
  2. Alunos do Fundamental I ( 1º ao 5º ano) – 6 a 10 anos (2.000)
  3. Alunos do Fundamental II (6º ao 9º ano) – 11 a 14 anos (2.000)

As amostras foram processadas no laboratório público da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) — LabZoo/Covisa. Os exames foram feitos através da extração de soro, e as amostras utilizadas foram de sangue venoso. Segundo a SMS, o estudo de validação do Teste OneStep Wondfo indicou maior exatidão dos resultados quando feitos com amostras de soro, em comparação com as amostras de sangue total obtidas por punção de polpa digital.