PF investiga esquema criminoso comandado por doleiros que movimentou R$ 200 milhões em dez anos

Operação Amphis investiga esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas operado por doleiros

  • Por Jovem Pan
  • 09/10/2020 10h03
LEANDRO FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOOperação da Polícia Federal ocorre em 5 estados do Brasil

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, 9, a Operação Amphis, que tem como objetivo investigar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas operado por doleiros em alguns estados do Brasil e também na Flórida, nos Estados Unidos. De acordo com a PF, cerca de 60 agentes cumprem 13 mandados de busca e apreensão nos escritórios e residências dos suspeitos de praticar o crime, localizados em municípios de Recife (PE), Jaboatão dos Guararapes (PE), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ). Segundo a investigação, somente no Brasil, o grupo movimentou mais de R$ 200 milhões em dez anos e abria contas bancárias com documentos falsos ou em nome de empresas “fantasmas” para lavar dinheiro.

A Justiça Federal de Recife mandou bloquear as contas dos investigados e de empresas “fantasmas”, além do sequestro de imóveis e veículos. Os alvos das medidas são três doleiros de Recife, pessoas que os ajudavam nas atividades criminosas, além de indivíduos que se valeram de serviços ilícitos promovidos pelos mesmos, consistentes na remessa clandestina de divisas ao exterior. A apuração do crime começou em 2014, e decorre de apuração acerca de organização criminosa transnacional que atua em diversas modalidades, como evasão de divisas, manutenção de instituição financeira clandestina, falsidade documental, descaminho e lavagem de dinheiro. Os agentes da Polícia Federal estão colhendo documentos e arquivos digitais que serão analisados pela equipe de investigação localizada em Pernambuco. As penas dos crimes podem chegar a 29 anos de prisão.