PF prende mais três suspeitos pela morte de Bruno e Dom Philips em operação contra pesca ilegal

Investigações no Vale do Javari começaram em paralelo ao assassinato do servidor da Funai e do jornalista; filho e irmãos de Amarildo estão entre os detidos

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2022 15h35 - Atualizado em 06/08/2022 15h37
SUAMY BEYDOUN/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO - 08/06/2022 Fachada da Polícia Federal no Amazonas AM - MANAUS, CASO BRUNO E DOM DESAPARECIDOS, COLETIVA DE IMPRENSA - GERAL - MANAUS, CASO BRUNO E DOM DESAPARECIDOS, COLETIVA DE IMPRENSA - Fachada da Sede da Policia Federal do Amazonas na cidade de Manaus, onde ocorreu na tarde desta quarta-feira (08) coletiva de imprensa com representantes dos órgãos responsáveis pelas buscas ao jornalista britânico Dom Phillips e o Indigenista Bruno Pereira, que desapareceram no último domingo (05) na região do Vale do Javari próximo a cidade de Atalaia do Norte no interior do Amazonas. 08/06/2022

A Policia Federal do Amazonas cumpriu neste sábado, 6, sete mandados de prisão e prendeu mais três suspeitos pela morte de Bruno Perreira, servidor da Funais, e Dom Philips, jornalista britânico, em operação contra pesca ilegal no Vale do Javari, no Amazonas. Entre os presos estão três familiares de Amarildo de Freitas Oliveira, o “Pelado”, envolvidos com a ocultação dos corpos. Amarílio de Freitas Oliveira, conhecido como “Dedei” e filho de Amarildo, foi preso de madrugada em uma danceteria em Atalaia do Norte. Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha” e Oseney da Costa de Oliveira, o “Dos Santos”, irmão de Amarildo, são os outros detidos. Dez mandados de busca e apreensão também foram realizados. Todos estão sendo investigados por associarem-se a “Colômbia” visando a realização de pesca ilegal na região. De acordo com a PF, a equipe conseguiu identificar a real identidade do indivíduo de alcunha “Colômbia”. Trata-se de Ruben Dario da Silva Villar, um cidadão colombiano que utilizava documentos ideologicamente falsos, como carteira de identidade brasileira e documento de identidade peruano, dentre outros. Com o avanço das investigações, a PF identificou fortes indícios de que “Colômbia” seria líder e financiador de uma associação criminosa armada dedicada à prática da pesca ilegal na região do Vale do Javari, responsável por comercializar grande quantidade de pescado que era exportado para países vizinhos. Segundo a PF, a operação de pesca ilegal foi aberta em paralelo ao assassinado de Bruno e Dom. Por meio das investigações, descobriram que o servidor da Funai era alvo da quadrilha e foi morto porque combatia a pesca ilegal na região. Dom foi executado porque estava com Bruno. As investigações prosseguem para o total esclarecimento do caso.