Polícia Federal está à disposição para ajudar a investigar mortes em Campinas, diz Jungmann

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2018 21h44
Cassiano Rosário/Estadão ConteúdoMinistro falou com a imprensa após evento no Rio de Janeiro

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, informou nesta terça-feira (11) que colocou a Polícia Federal à disposição do governo paulista para auxiliar nas investigações do ataque que terminou com cinco mortos e quatro feridos na Catedral Metropolitana de Campinas (SP). O crime aconteceu nesta tarde. O atirador se suicidou.

Jungmann disse que conversou com o secretário estadual da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, logo após ficar sabendo do episódio. “Em síntese, estamos absolutamente disponíveis para colaborar e apoiar no esclarecimento desse caso, dessa tragédia que aconteceu lá”, afirmou, em entrevista após evento no Rio de Janeiro.

Mágino teria relatado – segundo o ministro – que atirador “parecia” ser uma pessoa “desequilibrada”. Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos, foi baleado por um policial após atirar em oito pessoas e, cercado, de matou no altar da igreja. De acordo com o delegado José Ventura, o analista de sistemas não tinha antecedentes criminais.

*Com informações da Agência Brasil