Polícia prende homens com R$ 810 mil deixados nas ruas pelos assaltantes em Criciúma

Autoridades suspeitam que valor tenha sido recolhido nas ruas após assaltantes abandonarem parte do dinheiro roubado na fuga

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2020 10h08 - Atualizado em 01/12/2020 10h52
GUILHERME HAHN/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDOInvestigações apontam que ao menos 50 bandidos participaram da ação

A Polícia Militar de Santa Catarina prendeu quatro homens com R$ 810 mil roubados na madrugada desta terça-feira, 1, após um assalto de proporções cinematográficas em agência do Banco do Brasil, em Criciúma, na região Sul do estado. O dinheiro foi encontrado dentro de duas sacolas em um apartamento na região central do município horas depois do crime. Segundo o coronel Evandro Fraga, comandante da 6ª Região de Polícia Militar (6ª RPM), as cédulas foram recolhidas após serem abandonadas pelos assaltantes durante a fuga.

A cidade de Criciúma foi vítima de uma “noite de terror” na madrugada desta terça-feira. Durante duas horas, cerca de 50 criminosos fortemente armados isolaram as entradas do município em uma ação que envolveu o roubo de uma agência bancária na região central da cidade. Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, avaliou os prejuízos da ação e deu detalhes sobre a atuação do grupo criminoso. Segundo ele, tanto a Polícia Militar quando a Polícia Civil, assim como “toda a inteligência da segurança do Estado”, trabalham no caso. No entanto, na avaliação de Salvaro, nem mesmo o Exército Brasileiro teria condições de “enfrentar pessoas tão bem preparadas”. “Nunca assisti um filme com imagens tão terríveis como estas da minha cidade na noite de ontem. Foi realmente algo terrível. Não sei se tem algum estado se tem condições de enfrentar tamanha organização, não sei se o Exercito teria essas condições. Não temos condições de oferecer segurança ao cidadão, não temos condições de enfrentar pessoas tão bem preparadas. Se eles quisessem explodir a cidade teriam explodido”, afirma.

O tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade, comandante do 9º Batalhão da Polícia de Criciúma, contou que os bandidos sitiaram a cidade e promoveram barricadas na entrada de Criciúma para coordenar a ação. A Polícia Militar acionou o seu Batalhão de Operações Especiais (Bope) e a Tropa de Choque para conter os ladrões, que estão, de acordo com Dimitri, “armados com fuzis e armas longas e explosivos”. “Recebemos imagens de reféns, então é uma quadrilha do crime organizado especializada em assalto a banco. Eles fazem assalto simultâneo e atacam batalhões, como atacaram o 9º BPM”, disse. Os assaltantes roubaram e utilizaram um caminhão de lixo para se locomover na cidade. Um policial foi baleado no abdômen e encaminhado para o hospital. Outro vigilante também está ferido.