Por variante da Covid-19, governo estabelece quarentena para viajantes vindos do Reino Unido

Tempo de isolamento varia se viajante apresentar qualquer sintomas da doença; prazo mínimo é de 10 dias

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2020 22h51
CADU ROLIM/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Ministério da Saúde anunciou na noite desta terça-feira, 22, algumas medidas de proteção para viajantes e brasileiros que desembarcarem nos aeroportos do país vindo do Reino Unido. Medida é tomada por causa de variante do coronavírus identificado no país europeu. Segundo a pasta, é recomendado o auto-isolamento de, no mínimo, dez dias para todos os recém-chegados. Aqueles que apresentem quadro de síndrome gripal (SG) com confirmação por quaisquer critérios para Covid-19 o isolamento de 10 dias será feito contando a partir do início dos sintomas, desde que nas últimas 24 horas não apresente febre sem uso de medicamentos antitérmicos e remissão dos sintomas respiratórios.

Para os casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) com confirmação por quaisquer critérios para Covid-19, recomenda-se o isolamento, suspendendo-o após 20 dias do início dos sintomas ou após 10 dias com resultado RT-qPCR negativo, desde que passe 24 horas de resolução de febre sem uso de medicamentos antitérmicos e remissão dos sintomas respiratórios, mediante avaliação médica. O governo também informou que nesta segunda-feira, 21, agentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizaram ação de fiscalização e acompanhamento em voo que chegou da Inglaterra no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro.

A partir da próxima quarta-feira, 30, entrará em vigor a restrição de entrada, por rodovias, portos e aeroportos, no Brasil para estrangeiros de qualquer nacionalidade, publicada na Portaria 630/2020. Antes do embarque, os viajantes precisarão apresentar à companhia aérea um documento que comprove o resultado não detectável de teste laboratorial (RT-PCR) para Covid-19.